Amazon terá usado dados dos próprios comerciantes para lançar produtos concorrentes

Uma investigação do WSJ revela que a Amazon terá usado dados das vendas e negócio dos comerciantes na plataforma para lançar produtos de marca própria, obtendo assim uma vantagem sobre os restantes.

Funcionários da Amazon terão usado informações sobre as vendas de comerciantes independentes que usam a plataforma da empresa no desenvolvimento de produtos concorrentes da marca própria, expôs uma investigação da imprensa norte-americana. A prática é contrária às políticas declaradas do grupo liderado por Jeff Bezos.

A gigante do comércio online tem vindo a afirmar, inclusivamente ao Congresso dos Estados Unidos, que quando fabrica e vende os seus próprios produtos, não recorre aos dados recolhidos sobre a atividade e o negócio dos comerciantes que usam a plataforma, segundo o The Wall Street Journal (acesso pago). No entanto, o jornal terá obtido provas que apontam para o contrário.

Alguns ex-funcionários da Amazon revelaram ao jornal financeiro que o uso de dados de comerciantes independentes na Amazon era uma “prática comum” e que discutiam essa atividade abertamente nas reuniões em que participavam. Este tipo de informação pode ajudar a Amazon a definir os preços de certos produtos ou outros detalhes que lhe podem conferir vantagem no negócio.

A gama de produtos próprios da Amazon tem vindo a ser alvo de críticas destes comerciantes, que argumentam que a empresa tem uma vantagem injusta ao vender os seus próprios produtos no site, nomeadamente ao incluir ligações para as suas marcas em páginas de outros comerciantes.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Amazon terá usado dados dos próprios comerciantes para lançar produtos concorrentes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião