Corredores turísticos e epidemiologistas na abertura de fronteiras. UE define turismo como prioridade

Os ministros europeus responsáveis pelo turismo reuniram-se em videoconferência para discutir o futuro do setor. Acordaram que o turismo deve estar entre as prioridades da União Europeia.

A Croácia convocou um reunião com todos os ministros responsáveis pelo turismo para discutir o futuro do setor. Neste encontro, que decorreu esta segunda-feira por videoconferência, ficou decidido que o turismo terá de ser uma das principais prioridades no plano de recuperação da União Europeia (UE). Foram ainda estabelecidas outras medidas para apoiar o setor, que está a ser fortemente afetado pela atual crise.

“O setor do turismo sofreu uma quebra acentuada e inesperada na procura devido ao surto de coronavírus. A nossa missão, enquanto membros da UE e parte da região turística de maior sucesso do mundo, é ser líderes na recuperação do turismo, que (…) afeta diretamente a recuperação de toda a economia”, disse Gari Cappelli, ministro do Turismo da Croácia, citado em comunicado.

Nesta reunião, onde esteve presente a secretária de Estado do Turismo portuguesa, Rita Marques, juntamente com representantes dos restantes 26 Estados-membros, ficou definido que o turismo tem de ser uma das principais preocupações da UE neste plano de recuperação. “Vamos precisar de fundos sem precedentes para superar esta crise. É necessário um “novo plano Marshall “, com um orçamento poderoso da UE, para abrir o caminho para a recuperação europeia. Nenhum país pode superar esta crise sozinho”, disse Thierry Breton, Comissário Europeu para o Mercado Interno.

Assim, este encontro permitiu definir várias medidas de apoio ao setor, tais como a abertura de corredores turísticos entre os Estados-membros da UE, e a inclusão de epidemiologistas no processo de abertura das fronteiras. Os ministros e representantes concordaram que os epidemiologistas devem ser consultados na hora de definir os critérios e as medidas necessárias para garantir a segurança dos turistas.

No que diz respeito ao “quadro jurídico para os operadores turísticos, a Comissão Europeia foi convidada a trabalhar prioritariamente no sentido de uma abordagem comum da UE que proporcione flexibilidade e liquidez temporárias e garanta um justo equilíbrio de interesses entre os operadores turísticos e os consumidores“.

Foi ainda acordada uma “solução harmonizada para o reembolso de pacotes de viagens, incluindo vouchers” e ficou ainda sublinhada a importância de se recolherem informações sobre medidas relacionadas com o turismo. De acordo com o comunicado, houve um amplo consenso na adoção de medidas medidas adicionais e de uma maior coordenação a nível da UE para mitigar o impacto desta crise no setor.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Corredores turísticos e epidemiologistas na abertura de fronteiras. UE define turismo como prioridade

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião