BRANDS' ECO Trabalho remoto: 5 dicas para principiantes

  • BRANDS' ECO
  • 27 Abril 2020

O teletrabalho é uma das principais tendências do futuro do mercado de trabalho. Será que está preparado para aderir a longo prazo? Estas dicas podem ajudar.

Trabalho remoto, à distância, teletrabalho, home office… Termos praticamente sinónimos, que não mais vão sair da linguagem corrente das empresas e dos colaboradores. De acordo com o estudo “State of Remote Work”, da Buffer, 99% das pessoas gostaria de trabalhar remotamente em alguma altura da sua vida.

Mas, se para alguns aderir a esta modalidade de trabalho é um processo fácil e até orgânico, para outros pressupõe uma grande adaptação.

Ter a tecnologia adequada é fundamental para não desistir logo no primeiro dia e conseguir desempenhar as funções sem percalços. Mas existem outros fatores que também fazem diferença nesta adaptação.

  • Defina quando estar remote

Aderir ao teletrabalho a longo prazo não tem de significar passar o mês inteiro sem ir ao escritório. Comece por escolher um ou dois dias por semana para essa modalidade ou, se liderar uma equipa, questione qual seria o melhor dia para o fazerem.

Pode concentrar nesses dias as tarefas que requerem menor esforço de comunicação ou que não dependam de outros departamentos.

  • Escolha o seu espaço de trabalho

Na maior parte dos casos, o trabalho remoto faz-se a partir de casa. Se for esse o caso, é importante definir uma divisão que lhe permita estar focado. Pode ser um escritório ou um canto sossegado e, se possível, com luz natural.

Este passo é importante também para conseguir distinguir da forma mais clara possível entre o contexto de trabalho e o de lazer/pessoal.

Uma cadeira ergonómica, uma mesa de trabalho com espaço e um suporte que eleve o portátil são um upgrade de conforto que poderá equacionar.

  • Invista em tecnologia de confiança

Nunca ter um bom computador foi tão crucial para a produtividade, sobretudo neste contexto. Ter um portátil que consiga acompanhar a mobilidade e dar resposta à exigência do trabalho à distância é fundamental e pode facilitar muito a adaptação.

A pensar no trabalho from anywhere, at anytime, a HP lançou o Elite Dragonfly, “o convertível profissional compacto mais leve do mundo” – sim, consegue pesar menos de 1kg em algumas das suas versões!

Além de contar com um processador Intel Core i7, que permite maior rapidez na execução de aplicações empresariais, tem um design adaptável. O Elite Dragonfly roda sobre si mesmo e permite quatro modos de utilização: portátil, tenda, tablet e modo multimédia.

  • Mantenha por perto aliados da produtividade

Caso a sua preocupação seja como manter o nível de produtividade, o melhor é munir-se de algumas ferramentas antes. Limite as distrações, escolhendo os momentos para estar nas redes sociais. Continue a traçar objetivos e mantenha o foco no essencial.

Existem apps anti-distrações que ajudam, como a Anti-Social ou a Stay Focused.

  • Não descure a segurança

A mobilidade do trabalho remoto traz consigo alguns riscos, nomeadamente no que toca à cibersegurança. De acordo com o artigo “Four ways workers can preven security breaches”, da Fast Company, devemos adotar algumas medidas preventivas, como usar uma VPN, ter fatores de autenticação, utilizar um sistema de prevenção de perda de dados e incluir software de inteligência artificial para detetar ataques.

O HP Elite Dragonfly, por exemplo, já tem incorporado uma série de funcionalidades de segurança, como a câmara HP privacy com obturador, ecrã de privacidade opcional e três fatores de autenticação.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Trabalho remoto: 5 dicas para principiantes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião