Vista Alegre prolonga lay-off até 31 de maio

  • Lusa
  • 1 Maio 2020

A empresa anunciou ainda que vai reduzir em 50% as remunerações dos administradores enquanto durar a suspensão dos contratos de trabalho.

A Vista Alegre vai prolongar o lay-off simplificado até final de maio e reduzir em 50% as remunerações dos administradores enquanto durar a suspensão dos contratos de trabalho, segundo a informação comunicada ao mercado.

De acordo com o comunicado divulgado através da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a medida passa a abranger, desde hoje e até 31 de maio, 28,5% dos trabalhadores das unidades produtivas Vista Alegre e Atlantis de Ílhavo e Alcobaça.

Abrange ainda, entre 9 e 31 de maio de 2020, 19,7% dos trabalhadores da unidade produtiva Bordallo Pinheiro das Caldas da Rainha no segmento da faiança, adiantou.

Já a unidade produtiva Ria Stone, em Ílhavo, do segmento grés de mesa, irá retomar parcialmente a partir de segunda-feira, permanecendo neste caso 3,2% dos trabalhadores em lay-off até 31 de maio.

Segundo a Vista Alegre, “esta retoma de dois terços da capacidade instalada desta unidade foi previamente consensualizada com o cliente Ikea e a sua retoma total está alinhada com o plano em curso de reabertura de lojas de retalho deste cliente”.

A Vista Alegre indicou ainda que serão reduzidas em 50% as remunerações dos membros do Conselho de Administração, “com efeitos a abril do ano em curso e enquanto perdurar a situação de ‘lay-off’ simplificado nas suas subsidiárias”.

O lay-off simplificado é uma das medidas aprovadas pelo Governo de resposta à crise provocada pela pandemia de covid-19 e consiste num apoio às empresas de manutenção dos contratos de trabalho.

Os trabalhadores têm direito a receber dois terços da remuneração, assegurando a Segurança Social o pagamento de 70% desse valor, sendo o remanescente suportado pela entidade empregadora.

No comunicado, a empresa indicou ainda que, no âmbito da sua gestão financeira, pediu para aderir às moratórias de créditos para dívida de curto prazo, para suspensão do pagamento de 3,7 milhões de euros que vencem até 30 de setembro, assim como à linha de crédito Covid para um empréstimo no montante 5,2 milhões de euros (prazo de 18 meses de carência e 54 meses de reembolso) e a uma conta corrente caucionada de 1,3 milhões de euros (pelo prazo de seis meses renovável).

A Vista Alegre mantém suspensa a atividade comercial na rede de retalho em Portugal e nos mercados externos, com exceção dos canais online’, afirmando que assim se manterá até que considere “existirem as condições necessárias à retoma dessa atividade em cumprimento das normas aplicáveis e com as devidas salvaguardas de segurança dos seus clientes e colaboradores para a prevenção de contágios”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Vista Alegre prolonga lay-off até 31 de maio

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião