Hoje nas notícias: Popularidade de Costa, reformas e gás

  • ECO
  • 4 Maio 2020

Dos jornais aos sites, passando pelas rádios e televisões, leia as notícias que vão marcar o dia.

Em tempos de crise devido ao Covid-19, o número de beneficiários de subsídios do Estado continua a aumentar, atingindo já sete milhões de pessoas. Apesar dos efeitos negativos, os portugueses aplaudem a atuação do Governo, bem como do Presidente da República durante a pandemia, sendo reflexo disso a enorme popularidade que ambos têm conquistado. Destaque ainda para a idade da reforma dos funcionários públicos, que superou os 64 anos, e para a “guerra” entre Portugal e Espanha por causa do gás.

Popularidade de Costa atinge recorde, mas Marcelo é imbatível

A popularidade do primeiro-ministro português tem crescido devido à gestão da pandemia de coronavírus em Portugal. De acordo com a sondagem da Pitagórica para a JN/TSF, António Costa mantém a tendência de subida, alcançando uma taxa de aprovação de 74% junto do eleitorado. Atingiu um recorde, mas continua aquém do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, cuja popularidade voltou a aumentar, apresentando agora uma taxa de aprovação de 83%. Leia a notícia completa no Jornal de Notícias (link indisponível).

Subsídios do Estado já chegam a sete milhões de pessoas

O impacto económico da pandemia somou muita gente às listas de apoios da Segurança Social e da Caixa Geral de Aposentações. O número de beneficiários de subsídios do Estado ascende já a sete milhões de pessoas. Entre os novos apoios criados pelo Governo para fazer face à pandemia está o pagamento parcial dos salários a trabalhadores em lay-off, os apios a trabalhadores independente e aos pais que fiquem em casa com os filhos, além das baixas de doentes com Covid-19. Leia a notícia completa no Jornal de Notícias (link indisponível).

Idade média de reforma no setor público subiu para 64 anos. É a mais alta de sempre

Os funcionários públicos nunca se reformaram tão tarde. No ano passado, a idade média de passagem à reforma dos trabalhadores do Estado foi de 64,3 anos. A série longa da Caixa Geral de Aposentações revela que em 2019 a idade média de reforma subiu quase dois anos (1,7), o segundo maior salto registado no histórico e que apenas se assemelha a 2016, quando também aumentou 1,7 anos (passando para os 62,8 anos). Leia a notícia completa no Diário de Notícias (acesso livre).

Portugal e Espanha em conflito por causa do gás natural

Espanha poderá avançar com um desconto de 13,9% nas tarifas aplicáveis aos terminais espanhóis de gás natural liquefeito, uma medida que está a gerar desconforto na Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) de Portugal. Para o regulador português, a medida “terá fortes efeitos prejudiciais para o mercado português e para o desenvolvimento do Mibgas [mercado ibérico de gás natural” e irá “beneficiar as infraestruturas espanholas”, prejudicando o terminal de Sines. Leia a notícia completa no Jornal de Negócios (acesso pago).

Governo permite 13 de maio em Fátima com fiéis mas sem peregrinos

O primeiro-ministro, António Costa, vai abrir a primeira exceção no estado de calamidade para permitir a realização das celebrações do 13 de maio em Fátima. Os contactos com Manuel Clemente, cardeal-patriarca de Lisboa e presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, resultaram num acordo para a realização da celebração no interior da Basílica de Fátima, com a participação de eclesiásticos e fiéis, respeitando as normas de distanciamento social, mas sem a presença de peregrinos nem de cerimónias ao ar livre. Leia a notícia completa no Público (acesso condicionado).

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Hoje nas notícias: Popularidade de Costa, reformas e gás

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião