Primeiro-ministro lança recandidatura de Marcelo

  • Lusa
  • 13 Maio 2020

Depois de António Costa afirmar que espera voltar à fabrica da Autoeuropa com Marcelo no próximo ano, o Presidente da República respondeu: "Cá estaremos todos!".

O primeiro-ministro afirmou esta quarta-feira que espera voltar com Marcelo Rebelo de Sousa à fábrica da Autoeuropa, em Palmela, após a reeleição do atual Presidente da República, logo no primeiro ano do seu novo mandato, em 2021.

António Costa fez esta alusão à eventual recandidatura do chefe de Estado no final de uma visita de hora e meia à Autoeuropa, tendo o chefe de Estado ao seu lado, assim como o ministro da Economia, Pedro Siza Vieira. Segundo o primeiro-ministro, em relação à Autoeuropa, “estabeleceu-se uma nova tradição de que o Presidente da República e o primeiro-ministro visitam-na em conjunto”.

“Foi assim em 2016, no primeiro ano de mandato do Presidente da República, e foi agora no último ano do seu atual mandato. Tenho uma boa data simbólica a propor para fazermos uma terceira visita em conjunto e para partilharmos uma refeição com os colaboradores da Autoeuropa: a terceira data é no primeiro ano do próximo mandato do senhor Presidente da República“, declarou António Costa.

Depois, numa nota de humor, o primeiro-ministro referiu que, ao longo daquela visita à Autoeuropa, o Presidente da República experimentara um pastel de bacalhau e ele não. “Eu fiquei com vontade de experimentar o pastel de bacalhau. Espero que, para o ano, possamos partilhar uma refeição completa“, insistiu António Costa.

Já após o chefe de Estado ter feito uma breve intervenção, o primeiro-ministro voltou a aproximar-se do microfone que fora instalado pela Autoeuropa para os discursos, deixando então mais uma referência sobre a eventual recandidatura de Marcelo Rebelo de Sousa nas eleições presidenciais de janeiro de 2021. “Como é sabido, sendo eu um otimista, não tenho a menor dúvida do que se seguirá no próximo ano”, afirmou o primeiro-ministro.

Na sua intervenção, António Costa observou que visitou com o Presidente da República a Autoeuropa no dia 9 de dezembro de 2016, quando se assinalavam os 25 anos desta fábrica alemã. “Foi um momento muito importante para a nossa economia, numa altura em que o país estava a recuperar de uma crise económica e onde o sinal de confiança da Autoeuropa, anunciando que se preparava para lançar um novo modelo, foi muito importante”.

“Hoje, eu o Presidente das República regressámos num momento também muito difícil e em que foi possível verificar que, numa grande unidade industrial como esta (cerca de 2300 pessoas a trabalhar em cada turno), é possível regressarmos ao trabalho em segurança, apesar de continuarmos a viver no quadro de uma pandemia“, continuou o primeiro-ministro.

De acordo com António Costa, perante a covid-19, as condições de trabalho exigem agora o uso de máscara, distanciamento social e acesso a constantes produtos de desinfeção. “Mas é muito importante este sinal de confiança de que é possível regressar ao trabalho em segurança. Quero felicitar a Autoeuropa”, declarou o líder do executivo, tendo perto de si o diretor-geral da fábrica, Miguel Sanches.

Depois das declarações de António Costa, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou: “Cá estaremos todos”. “Nós vamos ultrapassar esta pandemia e os efeitos económicos e sociais este ano, no ano que vem, nos anos próximos. E eu cá estarei, e cá estaremos todos, porque isto é um espírito de equipa que se formou e que nada vai quebrar. Cá estaremos este ano e nos próximos anos a construir um Portugal melhor“, declarou.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Primeiro-ministro lança recandidatura de Marcelo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião