Marcelo também só queria “cheque” para o Novo Banco depois da auditoria

Marcelo Rebelo de Sousa argumenta que é diferente assumir um compromisso antes ou depois de ter conhecimento do resultado da auditoria do Novo Banco.

O Presidente da República defende que é “politicamente diferente” o Governo assumir responsabilidades, neste caso perante o Novo Banco, antes ou depois de ser conhecido o resultado da auditoria. Marcelo Rebelo de Sousa defende o que tinha sido prometido pelo primeiro-ministro, António Costa, que só faria o empréstimo ao Novo Banco após a auditoria.

“O senhor primeiro-ministro esteve muito bem no Parlamento quando disse que fazia sentido que o Estado cumprisse a as suas responsabilidades, mas naturalmente se conhecesse a conclusão da auditoria” ao Novo Banco, disse Marcelo Rebelo de Sousa, em declarações transmitidas pelas televisões.

Há uma auditoria que estaria concluída em maio deste ano… para os portugueses não é indiferente cumprir compromissos com o conhecimento exato do que se passou, ou cumprir compromissos e mais tarde vir a saber como se passou” naquele tempo, referindo-se à concessão do empréstimo de 850 milhões de euros feito pelo Ministério das Finanças ao Fundo de Resolução para a injeção no Novo Banco.

“É politicamente diferente”, rematou o Presidente da República após a visita à fábrica da Autoeuropa, em Palmela. Questionado sobre se Mário Centeno fez mal em “passar o cheque” antes da auditoria, Marcelo disse que “já disse o que tinha a dizer” sobre o tema Novo Banco.

Governo vai comprar um carro a quatro fábricas automóveis em Portugal

Também presente na visita à fábrica da Volkswagen em Palmela, António Costa anunciou que, como um sinal de confiança para a indústria, o Governo iria comprar uma viatura a cada uma das quatro fábricas que produzem automóveis em solo nacional, de diferentes categorias.

“Retribuindo o sinal de confiança” que a indústria automóvel transmitiu, a presidência de Conselho de Ministros “irá proceder à aquisição de uma viatura em cada uma das quatro unidades industriais” que produzem automóveis em Portugal, anunciou o primeiro-ministro, em declarações transmitidas pelas televisões.

Costa desafia Marcelo para visita a fábrica em segundo mandato presidencial

O primeiro-ministro notou que as duas visitas à Autoeuropa foram realizadas em conjunto com o Presidente da República, no primeiro e último anos do mandato de Marcelo. Deixou assim um convite para se cumprir a tradição e voltar à fábrica em Palmela no primeiro ano do segundo mandato do Presidente.

“Proponho que a data para a terceira visita seja para o ano, no primeiro ano do segundo mandato do Presidente da República”, disse António Costa, contando que ambos receberam um convite para um almoço na fábrica. Marcelo Rebelo de Sousa respondeu dizendo apenas: “cá estaremos este ano e nos próximos anos a construir um Portugal melhor”, não se comprometendo sobre uma recandidatura.

(Notícia atualizada às 14h10 com mais informação)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Marcelo também só queria “cheque” para o Novo Banco depois da auditoria

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião