Salários mais baixos poderão passar a ter lay-off pago a 100%

  • ECO
  • 30 Maio 2020

Executivo está a estudar o prolongamento do regime de lay-off, passando a ser pago a 100% para quem tem ordenados mais baixos. Notícia foi avançada pelo Expresso.

O Governo prepara-se para anunciar uma nova solução para o lay-off. Com o regime simplificado, desenhado especificamente para a pandemia de Covid-19, a chegar ao fim, o Executivo está a estudar o prolongamento, passando a ser pago a 100% para quem tem ordenados mais baixos. A notícia foi avançada este sábado pelo Expresso (acesso pago) e confirmada pelo ECO.

Atualmente, o regime permite aos empregadores mais afetados pela pandemia de coronavírus suspender os contratos de trabalho ou reduzir as cargas horárias dos seus trabalhadores, que passam a ter direito a, pelo menos, dois terços do seu salário, pagos em 70% pela Segurança Social e em 30% pelo patrão. Mas a medida acaba em junho e os patrões já pediram um prolongamento, o que alguns partidos veem com bons olhos, mas pedem alterações, nomeadamente no corte de rendimentos.

O Governo está a estudar essa possibilidade, sendo que o cenário em cima da mesa é que o pagamento dependa do salário do trabalhador. Ou seja, salários mais baixos seriam pagos a 100% e depois haveria um faseamento até aos 66% do ordenado máximo elegível (1.950 euros), segundo o semanário. Em simultâneo, poderão ser alterados outros apoios sociais, como o rendimento social de inserção, acrescenta o Expresso.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Salários mais baixos poderão passar a ter lay-off pago a 100%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião