Mercado apoia preço estabelecido na OPA do grupo espanhol MásMóvil

  • Servimedia
  • 3 Junho 2020

Os 22,50 euros estabelecidos na OPA pelos fundos Cinven, KKR e Providence à MásMóvil reflete o valor da empresa, garantem especialistas financeiros.

O preço de 22,50 euros estabelecido na Oferta Pública de Aquisição (OPA) pelos fundos Cinven, KKR e Providence à MásMóvil reflete o valor da empresa e está alinhado com outras operações anteriormente formuladas no setor, de acordo com especialistas financeiros consultados pela Servimedia.

As ações foram transacionadas na semana passada em linha com o preço ponderado do mês passado. Tendo como referência o preço de 27 de maio, a OPA implicaria um prémio de 29,6% sobre o referido preço e 29,3% e 39,3% se o preço ponderado do último e dos últimos três meses for tomado como referência, de acordo com as mesmas fontes.

No entanto, rumores sobre a operação dispararam a cotação da MásMóvil na quinta-feira, registando um aumento de 7,8% entre o fecho de quarta-feira e o fecho de sexta-feira, bem acima do Ibex-35, que caiu 1,1% no mesmo período. Isto limitou, assim, o prémio a 20,2%, em comparação com a listagem de telecomunicações na véspera da formulação da OPA. Por esse motivo, os especialistas acreditam que o prémio é de cerca de 30%.

A oferta envolve avaliar a empresa num múltiplo de 10,4 em relação ao seu resultado operacional ou Ebitda de 2019, o que significaria uma avaliação mais alta ou alinhada com a de outras operações similares no setor, de acordo com os especialistas.

Segundo os dados, as transações realizadas em telecomunicações em Espanha tiveram uma média de 8,6 vezes o Ebitda dos últimos 12 meses, incluindo sinergias. Por exemplo, a operação 2014 da Vodafone e ONO atingiu um múltiplo de 7,5 vezes em relação ao Ebitda; a da Orange e Jazztel, 10 vezes; e a de Euskaltel e R, bem como a de Euskaltel e Telecable, realizadas em 2015, atingiram um múltiplo de 8,5 vezes em relação ao Ebitda.

Esses múltiplos são consistentes com outras operações do setor na Europa, com uma média de 8,1x em operações como Telenor/DNA, Macquarie/PFA/TDC, Illiad/NJJ/Eircom, Hutchinson/O2, BT/TT ou NJJ/Orange Switzerland.

A oferta de compra da MásMóvil também possui um relatório de avaliação da PwC, no qual o preço da oferta é considerado justo. Na avaliação da MásMóvil, a consultora considera o seu bom histórico e os seus desafios, bem como o ambiente económico em Espanha e a repercussão que pode ter em métricas como o ARPU (na última crise financeira, o ARPU caiu em Espanha 31% entre 2008 e 2012), o fato de a empresa ter gerado fluxo de caixa operacional positivo pela primeira vez em 2019, o impacto potencial no acesso ao financiamento nos mercados devido à crise do Covid-19 ou a incerteza de como isso pode afetar o mercado de telecomunicações com forte concorrência do setor, que se concentra muito no baixo custo.

Por todas essas razões, e também de acordo com as fontes acima mencionadas, é razoável que o Conselho de Administração da empresa tenha declarado a sua intenção de fornecer uma recomendação positiva e considerar que o preço oferecido reflete uma avaliação adequada da empresa.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Mercado apoia preço estabelecido na OPA do grupo espanhol MásMóvil

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião