Petróleo já está acima dos 40 dólares. Cortes de produção puxam pelo preço do barril

Da reunião entre os maiores produtores de petróleo — OPEP+ –, que deverá decorrer esta semana, deverá sair o anúncio da extensão dos cortes de produção da matéria-prima.

O petróleo continua a valorizar. Em Londres, superou já a fasquia dos 40 dólares por barril, com os investidores a apostarem no anúncio de extensão dos cortes de produção por parte da OPEP e seus aliados em resposta à forte quebra na procura provocada pela crise causada pela pandemia.

O Brent segue a valorizar 1,64%, para 40,22 dólares, no mercado londrino. Chegou a negociar nos 40,53 dólares, a fasquia mais elevada desde o início de março, antes da pandemia. Em Nova Iorque, o West Texas Intermediate segue a tendência ao somar 2,31%, transacionando nos 37,66 dólares, também máximos de três meses.

As cotações da matéria-prima continuam, assim, a recuperar dos mínimos alcançados nas últimas semanas, período em que pela primeira vez na história os preços chegaram a estar abaixo de zero.

Petróleo acima dos 40 dólares por barril

Esta recuperação assenta na reabertura das economias, que está a puxar pela procura por petróleo, mas também na perspetiva dos investidores de que os produtores se preparam para prolongar o corte na produção.

Da reunião entre os maiores produtores de petróleo — OPEP+ –, que deverá decorrer esta semana, deverá sair o anúncio da extensão dos cortes de produção, equivalente a 9,7 milhões de barris por dia, cerca de 10% da oferta global, até julho ou agosto.

Esta extensão do corte de produção poderá permitir aos países produtores ganharem algum tempo até avançarem com um corte adicional na oferta por forma a estabilizarem o mercado. A oferta elevada, num contexto de procura reduzido, tem mantido as cotações em níveis bem inferiores aos registados no ano passado.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Petróleo já está acima dos 40 dólares. Cortes de produção puxam pelo preço do barril

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião