Mota-Engil fecha contrato de 115 milhões de euros em Angola financiado pelo Banco Mundial

  • ECO
  • 4 Junho 2020

A construtora fechou um contrato de 115 milhões de euros para construir infraestruturas de captação, tratamento e distribuição de água em Angola.

A Mota-Engil assinou esta quinta-feira um contrato de 115 milhões de euros para construir infraestruturas de captação, tratamento e distribuição de água em Angola, anunciou a empresa numa nota enviada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

“A MOTA-ENGIL S.G.P.S., S.A. (MOTA-ENGIL) informa sobre a assinatura de um novo contrato para a construção de infraestruturas de captação, tratamento e distribuição de água (Contrato de Empreitada – Lote B1 – para a realização de Estudos, Projeto Executivo e Construção da Captação, Estação de Bombagem de Água Bruta, Conduta Elevatória de Água Bruta, Estação de Tratamento de Água, Edifícios e Instalações Auxiliares do Sistema de Distribuição)”, lê-se no comunicado.

O contrato é financiado pelo Banco Mundial e chega, no total, aos 290 milhões de euros. Destes, 115 milhões de euros cabem à Mota-Engil que fará a obra em parceira com a Soares da Costa e a Suez. No comunicado não é referida a duração da obra.

Para a construtora “o financiamento do Banco Mundial demonstra a relevância do projeto para o país”. Além disso, dá uma base ao projeto que permite a “redução de risco” para a Mota-Engil, um objetivo que “tem procurado na sua atividade comercial e de expansão nos mercados tradicionais”.

“Este novo contrato acresce a uma carteira de encomendas robusta em África e reforça a sustentabilidade do desempenho que o grupo tem mantido naquela região”, conclui a Mota-Engil.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Mota-Engil fecha contrato de 115 milhões de euros em Angola financiado pelo Banco Mundial

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião