Dijsselbloem: “Não penso que vissem em Centeno um segundo Varoufakis”

  • ECO
  • 11 Junho 2020

O antecessor de Centeno, Jeroen Dijsselbloem, reiterou que o trabalho do ministro português à frente do Eurogrupo "foi sempre muito sério".

O antigo ministro das Finanças dos Países Baixos defende que não existiu a “suspeita” de Centeno ser um “segundo Varoufakis”, em entrevista ao Diário de Notícias (acesso livre). Jeroen Dijsselbloem reiterou também que o trabalho de Centeno à frente do Eurogrupo “foi sempre muito sério”.

Centeno vai deixar a liderança do Eurogrupo a 15 de julho. Para o seu antecessor, o ministro das Finanças português “assumiu os compromissos e a partilha de responsabilidade do Eurogrupo muito seriamente”, discordando das pessoas que dizem que Centeno “ultrapassou os dogmas do Eurogrupo sobre a austeridade.

Dijsselbloem defende também que não concorda com a assunção de que o Governo português adotou uma abordagem económica e orçamental completamente diferente na zona euro. O antigo líder do Eurogrupo considera que a política orçamental do atual Governo “é muito sustentável”, ressalvando ainda assim que “o Governo anterior fez muito do trabalho difícil, nas reformas”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Dijsselbloem: “Não penso que vissem em Centeno um segundo Varoufakis”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião