Há 283 novos casos. Quase 76% são em Lisboa e Vale do Tejo

Nas últimas 24 horas, foram identificados 283 novos casos de coronavírus em Portugal, subindo para 36.463 o número de pessoas infetadas com a doença.

Nas últimas 24 horas, foram identificados 283 novos casos de coronavírus em Portugal, subindo para 36.463 o número de pessoas infetadas com a doença. De acordo com os dados avançados, este sábado, pela Direção-Geral da Saúde (DGS), do total de novos casos, quase 76% foram verificados em Lisboa. E até ao momento, Portugal regista 1.512 vítimas mortais.

O balanço divulgado este sábado indica, dos mais de 348 mil casos suspeitos, até ao momento, Portugal conta com 36.463 casos confirmados, mais 283 do que na sexta-feira, ou seja, um aumento de 0,78%. O número de recuperados também cresceu: de 22.200 para 22.438. E o número de óbitos elevou-se 1.505 para 1.512. Estão neste momento 30.655 pessoas sob vigilância pelas autoridades de saúde.

De acordo com a DGS, o número de pacientes internados diminuiu de 440 para 428, ainda que o número de casos internados em cuidados intensivos tenha aumentado de 73 para 77 doentes.

Boletim epidemiológico de 13 de junho

O Norte continua a ser a região com mais casos confirmados, mas foi na zona de Lisboa que se registou a maior fatia de novos casos. Nessa região, foram detetados 215 novos casos, quase 76% do total de novos casos registados no país (os tais 283). Já o Centro regista 3.868 casos e 246 mortes. No Algarve, há 393 casos e 15 mortes e no Alentejo registam-se 281 casos e dois óbitos.

Segundo o boletim deste sábado, 1.516 pessoas aguardam resultado laboratorial do teste de despiste à doença.

Em declarações aos jornalistas, o secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, detalhou que Portugal regista, neste momento, 12.513 casos ativos. Desses, 96,6% encontram-se “a recuperar no domicílio” e 3,4% estão internados.

O responsável adiantou ainda que mais de 83% dos profissionais de saúde infetados pelo novo coronavírus já recuperaram da doença. “São mais de 2.900 profissionais” que já regressaram aos seus serviços, frisou o secretário de Estado.

António Lacerda Sales revelou, ainda, que a taxa de letalidade global está agora nos 4,1% e nos 17,4%, no caso dos pacientes acima dos 70 anos. O secretário de Estado lembrou também que 680 dos ventiladores comprados por Portugal já foram distribuídos pelas várias unidades, tendo o Governo fixado como objetivo atingir um rácio de 9,4 camas por 100 mil habitantes, até ao final do ano.

Já a líder da DGS, Graça Freitas, questionada sobre casos de ressurgimento do surto na China, disse: “Não podemos nunca estar descansados porque o vírus circula a nível planetário”. “O vírus está no nosso planeta, no nosso país, e a situação está controlada, mas sempre que levantamos a mão da mola, o vírus segue a sua trajetória”, acrescentou, referindo que a situação em Pequim é preocupante, mas não é inesperada.

(Notícia atualizada às 14h40)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Há 283 novos casos. Quase 76% são em Lisboa e Vale do Tejo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião