PCP divulga vídeo e regras sanitárias para festa do Avante

  • Lusa
  • 25 Junho 2020

Entre as medidas previstas para a festa encontra-se um aumento de mais 10 mil metros quadrados para os visitantes e uma delimitação de áreas e corredores para se circular.

O PCP divulgou esta quinta-feira um vídeo e as regras sanitárias para a festa do Avante, que mantém na agenda apesar da pandemia de covid-19, com um aumento de mais 10 mil metros quadrados para os visitantes.

Na edição desta quinta-feira do Avante, órgão oficial do PCP, são publicadas duas páginas em que se descreve, ao pormenor, as “medidas de segurança sanitária impostas pelo surto epidémico de covid-19” para superar “o grande desafio” – realizar a festa em tempo de pandemia – que “fácil não será”, mas “não será seguramente impossível”.

“Só quem não conhecer o coletivo partidário comunista e os amigos da Festa do Avante! é que poderá sinceramente duvidar do êxito de tal empreendimento”, segundo o jornal do PCP, cujo líder, Jerónimo de Sousa, que não dá como certa a realização da festa na Quinta da Atalaia, Seixal, mas continua a prepará-la. “Sim, é possível continuar a viver (e lutar) e salvaguardar a saúde pública”, lê-se no artigo do Avante.

No total, a área disponível será de 30 mil metros quadrados (mais dez mil do que em anos anteriores), existirão três palcos, haverá uma delimitação de áreas e corredores para se circular, as portas abrem mais cedo para evitar grandes aglomerações de pessoas nas portas que também serão mais.

Também haverá equipas permanentes de limpeza das instalações sanitárias e outras, uma multiplicação de pontos para lavar as mãos, pontos com gel desinfetante e o espaço entre mesas nas esplanadas será alargado para aumentar o distanciamento entre as pessoas. O vídeo dos comunistas, em que explica estas medidas, dura 01:19.

O palco central, palco 25 de Abril “contará com mais 6000 m2, o Auditório 1.º de Maio deixa de ter cobertura passando a ser um espaço aberto, ao ar livre, com cerca de 5000 m2” e “será ainda criado um terceiro palco de grandes dimensões, que aglutinará a programação prevista para outros palcos”, descreve-se no artigo do jornal.

Jerónimo de Sousa, secretário-geral do PCP, tem dito nas últimas semanas que “a vontade” do partido é realizar a festa, mas a sua realização dependerá das circunstâncias, ou seja, da evolução do surto do novo coronavírus até setembro.

“O PCP tem sempre acompanhado, respeitado aquilo que são medidas de proteção sanitária em todas as circunstâncias. Esta é a garantia que damos”, reafirmou esta quinta-feira Jerónimo de Sousa, à margem de um encontro com a Confederação Portuguesa das Micro, Pequenas e Médias Empresas na sede do partido, em Lisboa.

A pandemia de covid-19 já provocou quase 482 mil mortos e infetou mais de 9,45 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP. Em Portugal, morreram 1.549 pessoas das 40.415 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

PCP divulga vídeo e regras sanitárias para festa do Avante

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião