Produção de máscaras sofre quebra por falta de encomendas. Atrasa recuperação do têxtil

  • ECO
  • 29 Junho 2020

A produção de máscaras foi um balão de oxigénio para o setor têxtil, mas o mercado está a ficar saturado, as encomendas estão a cair a pique e a exportação é uma tarefa difícil devido às burocracias.

A produção de máscaras foi uma oportunidade para o setor têxtil, mas o mercado nacional está saturado. As encomendas caíram a pique e as exportações são um caminho conturbado devido às burocracias para a certificação, avança o Jornal de Notícias (acesso pago).

Portugal está longe de produzir um milhão de máscaras por dia como estava a produzir no início de maio e o valor da produção de máscaras está a perder peso. As associações empresarias mais representativas estão preocupadas com o futuro do têxtil e o encerramento de algumas das principais lojas de retalho está a provocar um sentimento de incerteza num setor que teima em não se reerguer.

A corrida à certificação das máscaras tem sido uma constante e em quase três meses, o Centro Tecnológico Têxtil e Vestuário (Citeve) já emitiu 2.559 certificados a 1.311 empresas distintas. As máscaras sociais são os produtos mais requisitados, com mais de metade a receberem o “carimbo” de segurança, uma realidade que pode estar a mudar de rumo.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Produção de máscaras sofre quebra por falta de encomendas. Atrasa recuperação do têxtil

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião