Portugal falha na redução da disparidade salarial entre homens e mulheres

  • ECO
  • 29 Junho 2020

Comité dos Direitos Sociais do Conselho da Europa acusa Portugal de violar o compromisso que assumiu de promover a igualdade de género a nível salarial.

Portugal não fez o suficiente para garantir a igualdade de rendimentos entre homens e mulheres, considerou o Comité de Direitos Sociais do Conselho da Europa, avança o Público (acesso condicionado). No entanto, ilibou Portugal das acusações relacionadas com a legislação em vigor e a sua aplicação.

“As medidas adotadas para promover oportunidades para homens e mulheres no que diz respeito ao salário são insuficientes e não resultaram num progresso visível”, o que acaba por constituir uma violação do previsto na carta, defende o comité. De acordo com os números publicados pelo Eurostat, o comité assinala que em 2010, os salários das mulheres por hora eram 12,8% inferiores aos dos homens e que em 2017, apesar de se ter iniciado entretanto uma trajetória descendente, essa diferença era mais alta (16,3%).

O Comité de Direitos Sociais do Conselho da Europa diz que o país está a violar o Artigo 20.º c. Carta Social Europeia Revista — assinada por Portugal em 1996, ratificada em 2001 e com entrada em vigor em 2002 — que determina que deve ser garantido o direito a oportunidades e tratamentos iguais no emprego, sem descriminação por género, relativamente a salários.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugal falha na redução da disparidade salarial entre homens e mulheres

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião