AdC acusa seis cadeias de supermercados e dois fornecedores de bebidas de concertação de preços

São visados nesta acusação as cadeias Modelo Continente, Pingo Doce, Auchan, Lidl, Intermarché e E-Leclerc, bem como os fornecedores Sumol+Compal e Sogrape.

Pouco mais de uma semana depois de ser conhecida a acusação aos supermercados e à Bimbo Donuts, a Autoridade da Concorrência (AdC) avançou com outra acusação no setor, a seis grupos de distribuição alimentar e dois fornecedores de bebidas, de concertação dos preços praticados ao consumidor.

Em causa estão “indícios de que Modelo Continente, Pingo Doce e Auchan utilizaram o relacionamento comercial com os fornecedores Sumol+Compal e Sogrape para alinharem os preços de venda ao público (PVP)”, adianta a AdC, em comunicado. No caso das bebidas não-alcoólicas e sumos, o Lidl também é visado na acusação, enquanto no caso das bebidas alcoólicas, estiveram igualmente envolvidas as cadeias Intermarché e E-Leclerc.

No caso da Sumol+Compal, os comportamentos investigados desenvolveram-se entre 2002 e 2017, enquanto na Sogrape foram entre 2006 e 2017. Dois administradores e dois diretores de cada um dos fornecedores, Sumol+Compal e Sogrape, são também visados individualmente nesta investigação da AdC.

A adoção da Nota de Ilicitude, que se junta aquela conhecida na semana passada, “não determina o resultado final da investigação”, sendo que os visados terão oportunidade de “exercer os seus direitos de audição e defesa em relação aos ilícitos que lhes são imputados e às sanções em que poderão incorrer”, refere a AdC.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

AdC acusa seis cadeias de supermercados e dois fornecedores de bebidas de concertação de preços

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião