COSEC ganhou 7 milhões mas retém dividendos

  • ECO Seguros
  • 8 Julho 2020

A seguradora de crédito que controla mais de metade do mercado português decidiu seguir os conselhos dos supervisores de seguros europeu e nacional e reter a distribuição de dividendos até 2021.

A COSEC – Companhia de Seguro de Créditos conseguiu resultados líquidos de 7 milhões de euros em 2019, uma subida de de 28% face aos lucros do ano anterior. No entanto, os dois acionistas em partes iguais da COSEC que são o Banco BPI (Grupo Caixa Bank) e a Euler Hermes (Grupo Allianz) decidiram seguir as recomendações do supervisor europeu EIOPA e da ASF, entidade reguladora portuguesa, no sentido de adiar a distribuição de dividendos e reavaliar essa distribuição até ao final do final do 1º semestre de 2021.

A seguradora teve um reforço da sua quota de mercado nacional para 53%, tendo os prémios de seguro de créditos aumentado 7%, para cerca de 40 milhões de euros segundo dados divulgados pela APS. No primeiro trimestre deste ano os prémios emitidos continuavam a crescer 8%. A 30 de setembro do ano passado, a COSEC apresentava um rácio de solvência elevado de 266%.

O aumento de vendas de seguros deveu-se, segundo a COSEC, a um reforço da capacidade comercial. Para além dos mediadores e do Banco BPI, a COSEC aumentou os canais de distribuição através de protocolos de distribuição assinados com o Millennium BCP e o Bankinter. Em 2019, a dinamização do Protocolo de Distribuição assinado com a CGD no ano anterior “teve já um contributo relevante apesar de ter sido o ano de arranque”, refere a companhia.

Os resultados líquidos de 2019 foram também influenciados por mais-valias realizadas na venda dos últimos investimentos imobiliários diretos da COSEC. A partir de agora a exposição no mercado imobiliário será efetuada através de instrumentos financeiros de baixo risco e com liquidez.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

COSEC ganhou 7 milhões mas retém dividendos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião