Houston Rockets levam seguradora a tribunal para obter cobertura Covid-19

  • ECO Seguros
  • 21 Julho 2020

A equipa da NBA e a empresa dona do pavilhão Toyota Center, recinto dos Rockets, estão em litígio com a sua seguradora, por esta se negar a cobrir perdas originadas pela pandemia (Covid-19).

A equipa onde joga James Harden, considerada a estrela mais valiosa na penúltima temporada da liga americana de basquetebol (NBA) – considera que a seguradora age de má-fé ao recusar pagar indemnizações aos Rockets e a outras empresas que reclamam também por perdas de exploração ocasionadas pelo impacto da Covid-19.

A queixa apresentada num tribunal de Rhode Island, pela Clutch City Sports & Entertainment, entidade proprietária da arena Toyota Center e da Rocket Ball Ltd, empresa que gere os Houston Rockets, requereu que a Affiliated FM Insurance deve ser obrigada a honrar a cobertura ao abrigo de uma apólice P&C (propriedade e danos) contratada por um capital limite situado nos 412 milhões de dólares.

A sociedade que detém os Rockets alega que a arena (pavilhão desportivo) foi obrigada a encerrar depois de a pandemia ter atingido Houston e de a NBA ter suspendido a temporada (prevista para ser retomada no final de julho em Orlando). A entidade argumenta que a chegada do vírus à cidade e o encerramento do Toyota Center constituem danos e perdas físicas cobertas pela apólice.

A perda da funcionalidade operacional [do Toyota Center] não tem nada de menos físico face ao dano de um edifício que perde o telhado sob o impacto de um tornado ou um ciclone,” sustentam os queixosos.

Em consequência da pandemia, a dona do recinto teve de cancelar 29 eventos, incluindo nove jogos da equipa da NBA, mais um número indeterminado de encontros de uma fase de play-off a que os Rockets estavam muito perto de aceder antes da NBA decretar interrupção da atividade desportiva devido à crise de saúde pública nos EUA.

A empresa proprietária da equipa de Harden vai mais longe, afirmando que a apólice contratada com a Affiliated FM (subsidiária do grupo FM Global Group) admite expressamente que uma doença transmissível (como a Covid-19) pode provocar danos físicos e perdas materiais, uma vez que as cláusulas do seguro especificam cobertura para “limpeza, remoção e eliminação” de doença contagiosa.

Os Houston Rockets reforçam ainda que a Covid-19 não consta da lista de contaminações excluídas da apólice. Portanto, a seguradora também não pode considerar que esta pandemia está excluída da cobertura, argumentam.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Houston Rockets levam seguradora a tribunal para obter cobertura Covid-19

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião