Aeroportos nacionais receberam 82 mil passageiros em maio. Menos 98,5% do que no ano passado

O número de passageiros a embarcar e a aterrar nos aeroportos nacionais caiu 98,5% face a maio do ano passado. A mesma tendência foi observada no número de aeronaves.

Passaram pelos aeroportos nacionais 82.100 passageiros em maio, o que mostra uma queda abrupta face aos 5,5 milhões observados no mesmo mês do ano passado, indicam os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). A mesma tendência observa-se na carga transportada, mas também no número de aeronaves, que caiu mais de 92%. A explicar este cenário está a crise pandémica, que encerrou fronteiras e levou ao confinamento.

Esta evolução já se vem a observar desde março, altura em que os primeiros casos de coronavírus apareceram em território nacional. Em março a quebra foi de 53,5% no número de passageiros e em abril foi ainda maior: 99,4%. Em maio verificou-se, contudo, uma melhoria. No mês em que as companhias aéreas começaram a retomar alguns voos, passaram pelos aeroportos nacionais 82.100 passageiros, menos 98,5% do que no ano passado.

No que diz respeito ao número de aeronaves a passar pelos aeroportos nacionais, contaram-se apenas 1.600 aviões em voos comerciais, o que representa uma descida de 92,3% face a maio do ano passado, refere o INE. Em termos de carga e correio, foram transportadas 8.100 toneladas, o equivalente a uma diminuição de 55,5%.

“Analisando o número de aeronaves aterradas e o número de passageiros desembarcados diariamente entre janeiro e maio de 2020, e comparando com o período homólogo, é visível o impacto da pandemia Covid-19 e das medidas adotadas ao nível do espaço aéreo a partir do início da segunda quinzena do mês de março, registando, ainda durante o mês de maio, reduções iguais ou superiores a 90% no número de aeronaves aterradas e superiores a 95% no número de passageiros desembarcados”, refere o INE.

França foi o principal país de origem e de destino desde janeiro

Em termos acumulados, entre janeiro e maio aterraram nos aeroportos nacionais 43.100 aeronaves em voos comerciais (-50,6% face ao mesmo período homólogo) e foram movimentados 9,6 milhões de passageiros (-56,5%).

O aeroporto de Lisboa movimentou 57,4% do total de passageiros (5,5 milhões) e registou um decréscimo de 53%, diz o INE. Considerando os três aeroportos com maior tráfego de passageiros, o aeroporto do Faro foi o que mostrou uma maior descida o número de passageiros movimentados entre janeiro e maio de 2020 (-73,6%).

No conjunto dos cinco primeiros meses do ano, e considerando o volume de passageiros aterrados e descolados em voos internacionais, França foi o principal país de origem e de destino dos passageiros movimentados nos aeroportos nacionais. O Reino Unido foi o segundo principal país de origem e destino e evidenciou a maior redução do número de passageiros aterrados e descolados (-64,9% e -61,1%, respetivamente).

Considerando os cinco primeiros meses de 2020, registou-se uma diminuição movimento de carga e correio nos aeroportos nacionais de -22,8%, atingindo 63,6 mil toneladas. O movimento de mercadorias no aeroporto de Lisboa representou 68,4% do total, atingindo 43,5 mil toneladas (-27,6% face ao período homólogo).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Aeroportos nacionais receberam 82 mil passageiros em maio. Menos 98,5% do que no ano passado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião