Nas notícias lá fora: United Airlines, Trump e Pós-Brexit

  • ECO
  • 22 Julho 2020

Trump muda radicalmente de postura sobre Covid-19, enquanto United Airlines anuncia perdas de 1,6 mil milhões de dólares devido à Covid-19. Londres já quase não acredita num acordo pós-brexit com UE.

A pandemia continua a marcar a atualidade internacional. A United Airlines anunciou que entre abril e junho, perdeu mais de 1,6 mil milhões de dólares e viu a faturação cair 87% devido à Covid-19. Trump muda radicalmente de postura sobre a Covid-19 e alerta que a pandemia “vai piorar antes de melhorar” e apela a que todos os cidadãos usem máscara de proteção respiratória. No Reino Unido, o Governo britânico já não acredita num acordo entre o Reino Unido e a União Europeia sobre as relações pós-Brexit. Já o Japão está a pagar aos cidadãos para viajarem para o país, através do programa “Go To Travel”, uma iniciativa pública no valor de 10,6 mil milhões de euros. A Telefónica e Amancio Ortega recebem 98 milhões em dividendos da holding Telxius.

The New York Times

Trump muda radicalmente de postura sobre a Covid-19

O Presidente dos EUA afirmou numa conferência de imprensa que a pandemia de Covid-19 no país “vai piorar antes de melhorar” e apelou a que todos os cidadãos usem máscara de proteção respiratória nos casos em que não seja possível manter distanciamento social. Estas declarações marcam uma mudança radical na postura de Donald Trump, que há poucos meses desconsiderava por completo a gravidade da pandemia e que chegou a sugerir aos cidadãos injetarem lixívia para combater o novo coronavírus, uma prática nefasta para a saúde e que foi altamente criticada pela comunidade científica. A posição do Presidente surge dias depois de ter aparecido pela primeira vez em público com máscara.

Leia a notícia completa no The New York Times (acesso condicionado, conteúdo em inglês).

The Telegraph

Londres já quase não acredita num acordo pós-brexit com a UE

O Governo britânico já não acredita num acordo entre o Reino Unido e a União Europeia sobre as relações pós-Brexit, revela o The Telegraph, a poucos dias do fim do prazo limite definido pelo próprio Executivo britânico — o final de julho. Contudo, o Governo de Boris Johnson pensa que continua a ser possível um acordo “básico” no Outono se a UE ceder em alguns pontos, acrescenta o jornal que cita fontes governamentais. O Reino Unido deixou a UE a 31 de janeiro, mas continua a ter de respeitar as regras comunitárias durante um período de transição que termina a 31 de dezembro.

Leia a notícia completa no The Telegraph (acesso condicionado, conteúdo em inglês).

Business Insider

United Airlines anuncia perdas de 1,6 mil milhões de dólares

A United Airlines anunciou na terça-feira que, entre abril e junho, perdeu mais de 1,6 mil milhões de dólares e viu a faturação cair 87% devido à pandemia, no que considerou ter sido o pior trimestre da sua história. As perdas agora apresentadas pela terceira transportadora aérea dos EUA, sediada em Atlanta, comparam com os lucros de 1,5 mil milhões obtidos no mesmo período do ano passado, o mesmo valor da faturação agora registada. Desde o início do ano, a empresa já perdeu 62% do valor bolsista. Trata-se do trimestre “mais difícil nos seus 94 anos de história” devido à grave queda na procura de voos causada pela crise do novo coronavírus, mas que a companhia espera melhorar nos próximos três meses.

Leia a notícia completa no Business Insider (acesso livre / conteúdo em inglês)

The Economist Espresso

Japão paga aos cidadãos para viajarem

Arranca esta quarta-feira o programa “Go To Travel” no Japão, uma iniciativa pública com 1,3 biliões de ienes (10,6 mil milhões de euros) para financiar e incentivar os cidadãos a viajarem. O programa financia até metade das despesas em viagens dentro do país, uma forma de estimular a economia e o turismo interno, depois do impacto da pandemia da Covid-19. Porém, a media não está isenta de críticas e 80% dos cidadãos acredita ser “muito cedo” para lançar este programa, face aos receios de que os viajantes possam ajudar a propagar ainda mais o novo coronavírus.

Leia a notícia completa no The Economist Espresso (ligação indisponível).

Cindo Días

Telefónica e Amancio Ortega recebem 98 milhões em dividendos da holding Telxius

A Pontel Participaciones, sociedade holding que detém 60% do capital da Telxius, filial de infraestruturas da Telefónica, e que agrupa as ações da operadora na empresa Pontegadea, veículo de investimento de Amancio Ortega, pagou mais de 98 milhões de euros em dividendos durante o ano passado, de acordo com o relatório de contas da empresa. No ano anterior, a Pontel tinha distribuído um dividendo de 77,68 milhões de euros, um aumento de 26%. Do montante total, a Telefónica recebeu mais de 81,82 milhões de euros, tendo em conta a sua participação na Pontel de 83,35% do capital, o que lhe confere 50,01% das ações da Telxius. Por outro lado, a Pontegadea recebeu quase 16,3 milhões de euros, devido à sua participação de 16,65% na empresa, o que lhe confere quase 10% da Telxius.

Leia a notícia completa no Cinco Días (acesso livre, conteúdo em espanhol).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Nas notícias lá fora: United Airlines, Trump e Pós-Brexit

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião