Tensão entre EUA e China colocam Wall Street sobre pressão

Ações norte-americanas negoceiam entre ganhos e perdas, a acusar o crescendo da tensão entre EUA e China enquanto os investidores mantêm-se atentos às negociações para novos estímulos.

As ações norte-americanas negoceiam entre ganhos e perdas, após os avanços registados nas últimas sessões. Estão a ser condicionadas por uma nova escalada nas tensões geopolíticas entre os EUA e a China enquanto os investidores mantêm as suas atenções nas negociações para um novo pacote de ajuda para a economia norte-americana.

O S&P 500 e o Dow Jones perdem 0,06%, para os 3.255,34 e 26.824,56 pontos, respetivamente. Já o Nasdaq recupera um pouco de terreno rumo ao recorde histórico em que encerrou na passada segunda-feira, valorizando 0,07% para os 10.687,58 pontos.

Washington deu indicação à China para fechar seu consulado em Houston, confirmaram os dois países esta quarta-feira, aprofundando a deterioração das relações bilaterais, sendo que uma fonte disse que Pequim também está a pensar fechar o consulado dos EUA em Wuhan.

A medida foi tomada “para proteger a propriedade intelectual e as informações privadas americanas”, disse o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Morgan Ortagus.

“Temos incerteza suficiente relacionada com o coronavírus e o aquecimento das disputas entre a China e os EUA não está a ajudar”, disse Sam Stovall, estrategista-chefe de investimentos da CFRA Research, citado pela Reuters.

Enquanto se agudizam as relações entre as duas maiores economias do mundo, nos EUA prosseguem as negociações entre os Republicanos e os Democratas relativamente à disponibilização de um novo pacote de ajuda a uma economia que se encontra “a braços” face à subida dos contágios pelo novo coronavírus. As negociações realizadas na terça-feira revelaram que as duas forças políticas ainda se encontram divididas.

A nível empresarial, a divulgação de resultados continua a marcar a agenda dos investidores. Referência para a Check Point Software que acelera 4,55% em bolsa, depois de a empresa de segurança na internet reportar um lucro líquido trimestral acima do esperado. Esta é uma das empresas que beneficia da mudança global para o trabalho a partir de casa durante a pandemia.

Já a Pfizer dispara 4,36%, depois a farmacêutica e da biotecnológica alemã terem adiantado que vão receber 1,95 mil milhões de dólares por parte do governo dos EUA para produzir e distribuir 100 milhões de doses da sua vacina contra a Covid-19 que já se encontra em testes.

Referência para a Tesla e para a Microsoft que apresenta m resultados após o fecho da sessão.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Tensão entre EUA e China colocam Wall Street sobre pressão

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião