“735 quilómetros de descobertas” da Nacional 2. Rita Marques vai de férias

A secretária de Estado do Turismo vai atravessar Portugal de norte a sul. Na rubrica "Eles vão de ferias para...", Rita Marques diz não resistir aos "735 quilómetros de descobertas" da Nacional 2.

Num ano em que o setor turístico está a ser fortemente afetado pelo coronavírus, Rita Marques desdobra-se para idealizar as melhores formas de impulsionar o turismo, mas não abdica do merecido descanso. E, tal como tem acontecido desde que foi mãe, mas também pela necessidade de promover o turismo nacional, este ano as férias vão ser passadas em terras lusas, a descobrir o país de uma ponta a outra, literalmente.

Turismo nacional não é novidade para Rita Marques, que passa as férias de verão em Portugal desde que foi mãe. Este ano o roteiro passa pela Estrada Nacional 2, ou parte dela, que faz 75 anos, diz a secretária de Estado do Turismo ao ECO. Ainda assim, garante que “as regras são conhecidas e são para ser cumpridas” e, por isso, este ano a mala vai carregar também uma máscara.

Onde é que vai passar as férias este verão?

Passarei parte das férias a descobrir parte da Nacional 2, de Norte para Sul, que este ano faz 75 anos.

A pandemia obrigou a alguma mudança de planos?

Não, desde que fui mãe tenho passado as férias de verão em Portugal.

Que cuidados vai ter por causa da Covid-19?

As regras são conhecidas e são para ser cumpridas. Este ano, para além do protetor solar, há que usar a máscara e lavar muitas vezes as mãos.

O que tem esse destino de tão especial?

A Nacional 2 é a única estrada da Europa que atravessa um país, desafiando a descoberta. #Tupodes. Todos podemos viajar no destino turístico que, desde há três anos, tem vindo a ser considerado o melhor do mundo.

O que recomenda que não se deve mesmo perder nesse destino?

As vinhas durienses, as planícies alentejanas ou as praias algarvias. São 735 quilómetros de descobertas.

E que álbum de música vai levar consigo?

Levarei as músicas de Jorge Palma, que celebra a vida há 70 anos!

“Eles vão de férias para…” é uma rubrica de verão em que o ECO lançou o desafio a governantes, gestores e empresários para partilharem com os nossos leitores onde vão, ou foram, neste período de descanso. É publicada diariamente.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

“735 quilómetros de descobertas” da Nacional 2. Rita Marques vai de férias

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião