Regulador espanhol multa sete seguradoras em 915 mil euros

  • ECO Seguros
  • 29 Julho 2020

Sete seguradoras espanholas de seguros foram sancionadas por infrações graves no quadro de um processo decidido pelo regulador (CNMV), com início em 2019 e confirmado agora em jornal oficial.

Sete seguradoras espanholas sofreram sanções da Comisión Nacional del Mercado de Valores (CNMV) resultantes de processos iniciados em março de 2019 e visam separadamente entidades ou filiais relacionadas com a Mapfre, Bankia, Bankinter e Liberbank (CCM), tendo sido agora publicadas no Boletim oficial do Estado (BOE).

Depois de expostos e discutidos factos e fundamentos jurídicos de “infrações graves” relacionadas com a inexistência – em cada uma das visadas – de uma comissão de auditoria e incumprimento de regras sobre composição e atribuição de funções contempladas em disposições da Lei de Valores Mobiliários (de 2015) e em legislação conexa prevista na Lei das Sociedades de Capital, o conselho da CNMV acordou aplicar as multas por um total superior a 900 mil euros a:

  • Bankia Mapfre Vida, Sociedad Anónima de Seguros y Reaseguros, 100.000 euros;
  • Bankinter Seguros Generales, S.A., de Seguros y Reaseguros, 10.000 euros ;
  • Bankinter Seguros de Vida, S.A., de Seguros y Reaseguros, 30.000 euros;
  • CCM Vida y Pensiones de Seguros y Reaseguros, S.A., 15.000 euros;
  • Mapfre España, Compañía de Seguros y Reaseguros, S.A., 400.000 euros;
  • Mapfre Global Risks, Compañía Internacional de Seguros y Reaseguros, 120.000 euros;
  • Mapfre Vida, SA de Seguros y Reaseguros sobre Vida Humana, 240.000 euros.

A resolução da CNMV vem datada de 23 junho, assinada por Sebastián Albella, presidente da CNMV, e publicada no BoE de 23 julho de 2020, tornando-se efetiva em termos administrativos, mas está pendente de recursos que venham a ser interpostos por via judicial em contencioso-administrativo na Audiência Nacional (justiça espanhola).

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Regulador espanhol multa sete seguradoras em 915 mil euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião