Lucro da Aon Plc cresce apesar de travagem na receita operacional

  • ECO Seguros
  • 4 Agosto 2020

A companhia líder global no setor de corretagem registou recuo de 1% na atividade orgânica, melhorou margem operacional e um cresceu mais de 40% no lucro operacional e resultado líquido.

A Aon Plc apurou 594 milhões de dólares (cerca de 505,3 milhões de euros ao câmbio do dia) como resultado operacional bruto entre março e junho (2ºT 2020). Depois de impostos e outras funções financeiras, a companhia líder global em corretagem de seguros registou 411 milhões de lucro líquido, mais 43% face ao desempenho de igual trimestre em 2019.

Ajustando o resultado operacional a diferimentos e ao efeito de alterações cambiais, o resultado operacional progrediu apenas 33 milhões, ou 5% em comparação com o alcançado um ano antes, contabilizando 670 milhões de dólares no final de junho último.

No entanto, a margem operacional ajustada avançou 240 pontos base, elevando-se de 24,4% em junho de 2019, para 26,8% no final do segundo trimestre de 2020, beneficiando de um declínio de 13% na despesa operacional, a qual rondou 1,9 mil milhões de dólares.

Entre as métricas destacadas pela companhia que prossegue atualmente processo de fusão com a Willis Towers Watson (WTW), Aon Plc indica um decréscimo de 4% na receita consolidada, para um total de 2 497 milhões de dólares, montante que também reflete um declínio de ligeiro (-1%) na atividade orgânica.

Reportando a evolução do negócio (atividade corrente), a corretora sediada em Dublin indica que a área Commercial Risk Solutions, principal geradora de receita, contabilizou 1 126 milhões de dólares, ou cerca de 45% do volume consolidado no trimestre, embora a recuar 4% (-2% se descontado o efeito das variações cambiais). Em termos orgânicos cresceu 1%.

Em base percentual, a maior quebra de receita ocorreu na área Health Solutions (-19% em variação homóloga, para 258 milhões e a evidenciar o impacto da pandemia), enquanto a parcela Reinsurance Solutions se distinguiu como a única a crescer em faturação (+7%, para 448 milhões de dólares), tendo crescido 9% em termos orgânicos.

Além da melhoria na margem operacional, outra métrica realçada nos trimestrais da Aon é a disponibilidade de tesouraria (free cash flow), que subiu 875 milhões (entre janeiro e julho), para 1 130 milhões de dólares.

Greg Case, CEO da Aon plc, comentou o balanço trimestral afirmando que os tempos evidenciam crescente volatilidade (económica e política), como mostram os impactos da pandemia (covid-19). Neste contexto, “a combinação com a WTW vai acelerar as capacidades de inovação e força para superarmos os desafios de longo prazo que os nossos clientes terão enfrentar no futuro,” lê-se em infografia disponível no site da instituição especialista em consultoria de risco e corretagem em soluções de reforma e saúde.

Os acionistas (em AG extraordinária agendada para 26 de agosto) deverão votar favoravelmente a operação de aquisição-fusão da Willis Towers Watson, indica ainda o comunicado da Aon plc.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Lucro da Aon Plc cresce apesar de travagem na receita operacional

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião