Portugal é o maior produtor de bicicletas da UE. Produziu 2,7 milhões em 2019

Produziram-se mais de 11,4 milhões de bicicletas na UE no ano passado, 2,7 milhões das quais em Portugal.

Portugal foi o maior produtor de bicicletas da União Europeia (UE) em 2019, revelam os dados do Eurostat divulgados esta quinta-feira. Saíram das fábricas portuguesas 2,7 milhões de bicicletas no ano passado. Apesar da produção própria, os Estados-membros da UE importaram mais bicicletas do que exportaram.

No ano passado, produziram-se mais de 11,4 milhões de bicicletas na UE. Portugal ultrapassou Itália, que contabilizou 2,1 milhões de bicicletas feitas, como maior produtor. Segue-se a Alemanha, que produziu 1,5 milhões, a Polónia (900 mil) e os Países Baixos, bastante conhecidos pelas bicicletas que enchem as ruas e ciclovias, que produziram mais de 730 mil unidades.

A produção destes cinco países correspondeu a cerca de 70% do total da UE no ano passado. De toda a produção, os Estados-membros acabaram por exportar quase 1 milhão de bicicletas e outros equipamentos da mesma categoria, de acordo com o gabinete de estatísticas europeu.

Estas exportações, no valor de 368 milhões de euros, aumentaram 24% face a 2012. Para além disso, os países da UE exportaram também 191.900 bicicletas elétricas, no valor de 272 milhões de euros em 2019. Em ambos os casos, o Reino Unido e a Suíça foram os principais destinos para estas encomendas.

Por outro lado, o número de importações foi muito superior. Em 2019, os Estados-membros importaram mais de 5 milhões de bicicletas de países fora da UE, no valor de 942 milhões de euros, principalmente do Camboja e Taiwan. Quanto às elétricas foram cerca de 700 mil unidades, que vieram nomeadamente do Taiwan e Vietname.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugal é o maior produtor de bicicletas da UE. Produziu 2,7 milhões em 2019

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião