BRANDS' PESSOAS Férias em trabalho remoto

  • BRANDS' PESSOAS
  • 17 Agosto 2020

"Só com períodos de descanso efetivo os trabalhadores poderão regressar para dar uma contribuição real, dedicada e produtiva", refere Marta Santos, Associate Partner EY, People Advisory Services.

Estamos em tempo de férias! Tradicionalmente, o mês de agosto é um mês de eleição para tirar férias e este ano, mesmo com todas as alterações que vivemos nos últimos tempos, não é exceção.

Na verdade, muita coisa mudou nas nossas vidas ao longo dos meses desde que a pandemia apareceu… Desde o confinamento obrigatório, passando pelo uso de máscaras, pela permanente preocupação com lavar as mãos e desinfetar os espaços, pelos horários reduzidos de lojas e centros comerciais, restrições de ajuntamentos… Até para irmos à praia temos de ver o nível de ocupação!

Estas são umas férias diferentes. Desde logo, porque o trabalho também mudou. Estamos num período de descanso (merecido!) depois de uma realidade de trabalho que também mudou radicalmente. Para muitos, o trabalho remoto foi uma realidade imposta “de um dia para o outro”.

Os desafios de adaptação que esta realidade impôs foram vários: a logística doméstica necessária para enquadrar o “escritório” e a/s “escola/s” no mesmo espaço, as dinâmicas relacionais que se alteram com uma realidade de permanente presença de todos os elementos que vivem na mesma casa – e com ausência de outros contactos sociais (que mesmo depois do confinamento se mantiveram muito mais reduzidos e distantes), a necessidade de capacitação para a utilização de ferramentas colaborativas de trabalho até aí para muitos desconhecidas, as dinâmicas de equipa e as relações laborais que se alteram profundamente nesta nova realidade…

Estes dois últimos pontos são essenciais no que toca a analisarmos a realidade que vivemos em tempo de férias. Na verdade, o trabalho tornou-se móvel – podemos trabalhar em qualquer lado: com acesso a e-mails, ao Teams, ao Zoom, ou a qualquer outra plataforma colaborativa na palma da nossa mão… basta ter um smartphone para termos o escritório ali mesmo! É fundamental que consigamos realmente “desligar”, de forma a preservar o nosso tempo de descanso, permitindo-nos “recarregar baterias”. Mas sabemos que neste tema, as dinâmicas da equipa e as relações laborais têm uma influência muito significativa. É fundamental que haja uma clara visão de que os períodos de férias são também essenciais – para a pessoa, para a equipa e para o sucesso futuro da organização.

Só com períodos de descanso efetivo os trabalhadores poderão regressar para dar uma contribuição real, dedicada e produtiva, com capacidade de trabalhar em equipa de forma saudável e eficaz. Tudo isto impacta de forma muito positiva nos índices de produtividade e no sucesso sustentável das organizações.

Espero que todos tenham umas boas férias!

Se tem interesse em receber comunicação da EY Portugal (convites, newsletters, Eestudos, etc), por favor clique aqui.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Férias em trabalho remoto

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião