Pandemia trava, mas não acaba com greves. Houve 89

  • ECO
  • 19 Agosto 2020

Número de pré-avisos entregues no segundo trimestre compara com os 329 pedidos realizados junto do MTSSS no mesmo período do ano passado. Houve uma quebra de 73%.

A Covid-19 obrigou os sindicatos a refrear a contestação, mas esta não acabou. De acordo com dados da Direção-Geral do Emprego e das Relações de Trabalho (DGERT), deram entrada no Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social (MTSSS) 89 pré-avisos de greve entre abril e junho.

Este número de pré-avisos entregues, que diz respeito apenas ao setor privado e empresarial do Estado, compara com os 329 pedidos realizados junto do MTSSS no mesmo período do ano passado. Houve uma quebra de 73%, revela o Diário de Notícias (acesso livre).

Foi em abril, mês do confinamento por causa da pandemia, que se registou o menor número de pré-avisos de greve: foram apenas três, tendo este número aumentado para 39 em maio, no arranque do desconfinamento. Segundo o DN, em junho já se registaram 47 pedidos.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Pandemia trava, mas não acaba com greves. Houve 89

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião