Investigadores criam novo catalisador para carros a hidrogénio

  • Lusa
  • 24 Agosto 2020

O catalisador, desenvolvido em laboratório, apenas precisa de uma fração da quantidade de platina que os carros a hidrogénio precisam hoje.

Investigadores da Universidade de Copenhaga, Dinamarca, criaram um catalisador que pode ser utilizado para produzir veículos movidos a hidrogénio mais baratos e sustentáveis, foi esta segunda-feira anunciado.

Numa informação da Universidade diz-se que os veículos a hidrogénio podem em breve tornar-se uma norma em todo o mundo, substituindo os muitos milhões de carros que circulam hoje, muito poucos a funcionar a hidrogénio. Os resultados da investigação foram publicados na revista científica “Nature Materials”.

No documento afirma-se que os veículos movidos a hidrogénio são raros, nomeadamente por dependerem de uma grande quantidade de platina para servir de catalisador nas suas células de combustível (10 vezes mais do que outro veículo normal).

“Desenvolvemos um catalisador que, em laboratório, apenas precisa de uma fração da quantidade de platina que os carros a hidrogénio precisam hoje. Estamos a aproximar-nos da mesma quantidade de platina que é necessária para um veículo convencional. Ao mesmo tempo o novo catalisador é muito mais estável do que os catalisadores utilizados nos atuais veículos movidos a hidrogénio”, disse Matthias Arenz, do Departamento de Química da Universidade.

E Jan Rossmeisl, do mesmo departamento, acrescentou, ambos citados no documento: “O novo catalisador pode tornar possível a implementação de veículos a hidrogénio numa escala muito maior do que alguma vez se poderia ter conseguido no passado”. Os investigadores dizem também que o novo catalisador não tem carbono, o que é bom porque o carbono torna os catalisadores instáveis.

Jan Rossmeisl considerou que com este avanço é possível tornar os veículos a hidrogénio mais baratos, mais sustentáveis e mais duradouros. Os investigadores dizem que já estão em contacto com a indústria automóvel, para ver como o avanço tecnológico pode na prática ser implementado.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Investigadores criam novo catalisador para carros a hidrogénio

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião