Quais são as seguradoras que os corretores mais gostam

  • ECO Seguros
  • 1 Setembro 2020

Os corretores estão do lado dos clientes ao procurarem as seguradoras que melhores condições oferecem para contratar coberturas de riscos. Revelamos as companhias preferidas das 15 maiores corretoras.

Fidelidade e Seguradoras Unidas (Tranquilidade, Açoreana) foram as seguradoras que, em 2019, maior negócio fizeram com o top 15 das corretoras portuguesas, estando sempre nos dois primeiros lugares entre as companhias que concederam maiores remunerações às corretoras pelo seu trabalho de mediação e cobrança junto de clientes. Duas exceções confirmam esta regra, A Ageas Seguros é a mais importante para a corretora Seguramos enquanto a seguradora londrina Domestic & General é a 2ª maior fornecedora da MDS que pertence ao grupo Sonae. A D&G fornece seguros no negócio das lojas do grupo, Worten entre outras.

As corretoras de seguros têm legalmente de revelar nos seus relatórios e contas as seguradoras que contribuíram com mais de 5% para a sua receita de remunerações. O legislador pretende com essa disposição que as corretoras procurem realmente muitas alternativas para os seus clientes e não se concentrem apenas em algumas seguradoras, fator que pode significar uma pior solução. Essas remunerações são atribuídas pelas seguradoras concedendo comissões de mediação e de cobrança às corretoras pelo seu trabalho junto dos clientes. A este valor junta-se ainda um valor de rappel que são prémios adicionais que as seguradoras concedem aos corretores quando se ultrapassam patamares de negócio, normalmente relacionados com volume de prémios emitidos pelo corretor em nome dessa seguradora.

Outro modelo de remuneração das corretoras é a prestação de um serviço de consultoria aos seus clientes. As maiores empresas portuguesas já seguem este modelo, pagando às corretoras um fee fixo para encontrarem, estudarem e ajustarem o melhor pacote de coberturas, ao melhor preço, junto das seguradoras do mercado. Neste caso está pressuposto que as corretoras não são remuneradas pelas seguradoras, abdicam do valor das suas comissões e incorporam-nas nos preços para os clientes, baixando os encargos destes.

Com base nos relatórios e contas de 2019 das corretoras, foi possível detetar as seguradoras que mais remunerações deram a cada uma das 15 maiores corretoras portuguesas. O conjunto das 69 corretoras a operar no mercado nacional contribuem para 8,4% do valor dos prémios de seguros emitidos em Portugal, segundo dados de 2018 da APS – Associação Portuguesa de Seguradores. Nos ramos Não Vida o seu peso quase atinge os 20% das vendas, mas em Vida apenas 1,6% do valor dos contratos é mediado por corretores.

No lado das cobranças, as corretoras recebem diretamente dos clientes e pagam às seguradoras sendo remunerados por esse serviço. Neste caso o contributo das corretoras é de apenas 6,2% do total cobrado em Portugal, com um peso de 15,3% nos ramos Não Vida e de apenas 0,3% no ramo Vida, sempre mais dirigido para cobranças por débito direto ou transferência bancária.

Muitas seguradoras não privilegiam relações com corretores, preferindo outros canais como mediadores ou bancassurance para obter volume, mas todas trabalham com estes intermediários especializados que estão por definição mais próximos dos clientes de seguros e exigindo, em nome destes, as melhores condições e coberturas a qualquer uma das seguradoras do mercado.

A Fidelidade foi a maior fornecedora para 9 das 15 maiores corretoras nacionais, a segunda maior para outras cinco e terceira para outra. Já a Seguradoras Unidas, mais conhecida pela sua marca Tranquilidade, foi a maior fornecedora de cinco corretoras e a segunda maior em nove sendo a terceira na MDS logo após a Domestic & General. A Ageas Seguros é a maior fornecedora da Seguramos.

No top 5 dos fornecedores das corretoras, a partir da terceira posição em importância, surgem ainda a Allianz (8 corretoras), Generali (7), Zurich (6), Caravela (2), Victoria (2), Lusitania (2), Liberty (2) e Metlife (1) . A partir da 4ª posição surgem a AIG (2) e a Ocidental (2).

A presença das maiores seguradoras nesta tabela é considerada natural, uma vez que a oferta disponível e a capacidade de aceitar riscos é maior. No entanto, a maior concentração das corretoras em muitas ou poucas das seguradoras no mercado é variável. A AON tem apenas 31% das suas remunerações concentrada em seguradoras que pesam mais de 5% do total das suas remunerações. Significa que 69% os seus rendimentos são provenientes de muitas seguradoras cujo peso está abaixo de 5% deste tipo de receita da corretora. Já a Villas Boas ACP tem o seu negócio concentrado em apenas 2 seguradoras: Fidelidade e Tranquilidade.

Na tabela pode ser verificado as seguradoras com maior peso em cada uma das 15 maiores corretoras durante o ano de 2019, tendo como fonte de informação os relatórios e contas de cada uma das empresas. O volume de negócios (VN) apenas justifica a classificação apresentada, o valor não pode ser relacionado com as remunerações recebidas uma vez que para o VN entram outras receitas não provenientes de seguradoras. O top 5 adiciona o peso das cinco maiores, indicando o nível de concentração. Aqui fica:

 

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Quais são as seguradoras que os corretores mais gostam

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião