Google Trends: Polémicas com o Avante lideram pesquisas dos portugueses

  • Tiago Lopes
  • 6 Setembro 2020

Cá dentro, a discussão sobre a Festa do Avante marcou a semana. Lá fora, Trump pediu aos eleitores para votarem duas vezes. Nos Negócios, gigantes da tecnologia oferecem app de rastreio à Covid-19.

A Festa do Avante marcou a semana em Portugal, nas pesquisas do Google. A DGS afirmou, inicialmente, que não ia divulgar qualquer parecer técnico sobre a realização do evento, mas depois de uma troca de palavras que envolveu Marcelo Rebelo de Sousa, acabou mesmo por fazê-lo.

O insólito pedido de Donald Trump aos norte-americanos para votarem duas vezes, como forma de testar o sistema de segurança eleitoral, foi um dos temas quentes a nível internacional.

Nos negócios, a Apple e a Google anunciaram que vão disponibilizar uma ferramenta dentro dos seus sistemas operativos de rastreio à Covid-19.

Cá dentro

A semana passada ficou, inevitavelmente, marcada pela Festa do Avante. O tema não é novo e a discussão já tem algumas semanas, mas foi no último dia de agosto, na segunda-feira passada, que a discussão subiu de tom depois da Direção-Geral da Saúde (DGS) dar a conhecer o parecer técnico sobre o evento, acabando por limitar o número de pessoas no recinto a 16.563 em simultâneo.

Porém, antes da DGS divulgar este documento, a troca de “recados” já acontecia num registo praticamente diário. Depois de ter sido alvo de críticas, a DGS, que começou por responder ao Presidente da República informando que não iria revelar qualquer parecer sobre o Avante, acabou por ver António Costa a dizer o contrário. Conclusão: as regras do evento foram mesmo apresentadas ao público.

Para apimentar a discussão em torno de um evento desta envergadura em plena pandemia, um artigo no New York Times (acesso livre, conteúdo em inglês) assinado pela agência internacional Associated Press intitulado “Partido Comunista de Portugal recebe ok para ter 16.500 pessoas em evento”, veio fazer subir o tom das críticas ao evento político.

Para ajudar a controlar as infeções por Covid-19, a aplicação que foi criada para ajudar a rastrear contactos com pessoas infetadas, a StayAway Covid, chegou finalmente esta semana às lojas de downloads da Apple e da Google. O tema rapidamente ganhou destaque no top de pesquisas do Google, mas não o suficiente para levar a grande maioria dos portugueses a descarregarem a aplicação.

Depois de vários apelos por parte de António Costa, que descreve a aplicação como “essencial, voluntária, confidencial e segura” e que considera ser “um dever cívico que cada um de nós tem: evitar a transmissão da pandemia. E como é um dever cívico lavar as mãos, entendam também que é um dever cívico descarregar esta aplicação e sinalizarem se vierem a ser diagnosticados como estando positivos”, o INESC TEC, que desenvolveu a app com o ISPUP, a Keyruptive e a Ubirider, divulgou que a aplicação já foi descarregada mais de 500 mil vezes.

Covid-19 à parte, o anúncio da morte do DJ Erick Morillo, de 49 anos, foi um dos temas que mais pesquisas recebeu durante a semana. O veterano DJ norte-americano foi encontrado morto em Miami, Estados Unidos.

Conhecido pelo êxito ‘I Like To Move It’, lançado em 1993, Morillo tinha sido detido há cerca de duas semanas por alegado abuso sexual.

O futebol, que está de regresso depois de uma época atípica, também voltou ao top das pesquisas, nomeadamente com o sorteio da terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões que colocou o PAOK no caminho do Benfica.

Os “encarnados” vão defrontar uma equipa também treinada por um português. A equipa de Salónica é orientada por Abel Ferreira, que foi treinador do Sporting B, Braga B e da equipa principal dos arsenalistas. O jogo é disputado apenas numa partida na Grécia. Caso o Benfica saia vencedor vai defrontar o Krasnodar no playoff de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões.

A fechar, nota para a Ryanair, não pelas campanhas promocionais, mas antes pelo facto de ter anunciado que vai reajustar a sua operação em Portugal e descontinuar algumas rotas. A notícia também levou milhares de portugueses ao principal motor de pesquisa da internet.

Lá fora

  • Facebook contra fake news. O fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, anunciou que a rede social vai bloquear todas as mensagens políticas e novos anúncios uma semana antes das eleições nos Estados Unidos, agendadas para o dia 3 de novembro. “Vamos bloquear qualquer novo anúncio político durante a última semana da campanha (eleitoral nos EUA). É importante que as campanhas possam continuar a lançar apelos ao voto, e geralmente acredito que o melhor antídoto para mau discurso é mais discurso, mas nos últimos dias de uma eleição pode não haver tempo para contestar novas alegações”, explicou Zuckerberg.
  • Portugal mantém-se na lista segura inglesa. Depois de durante a semana se ter falado por várias vezes que Portugal podia ser novamente incluído na lista de países cujos passageiros são obrigados a ficar de quarentena quando regressam ao Reino Unido, o secretário de Estado dos Transportes daquele país, Grant Shapps, anunciou através do Twitter que para já nenhum país vai ser retirado ou adicionado à lista. Contudo, Shapps avisou que a lista pode ser alterada a qualquer momento num espaço de tempo “muito curto”.
  • Trump pede duplo voto nas presidenciais. Donald Trump não para de surpreender. Desta vez, o presidente dos Estados Unidos sugeriu que os eleitores da Carolina do Norte votassem duas vezes – uma pelo correio e outra presencialmente – de forma a testar a segurança do sistema eleitoral daquele estado onde é considerado crime votar duas vezes. “Que o enviem [o voto por correio] e que vão votar. E se o seu sistema for tão bom como dizem, então é óbvio que não conseguirão votar presencialmente”, sugeriu Trump.

Nos negócios

  • Netflix reuniu-se com o Ministério da Cultura em Portugal. Graça Fonseca, ministra da Cultura, e Nuno Artur Silva, secretário de Estado do Cinema, estiveram reunidos na última quinta-feira com representantes da Netflix e da Vancouver Media onde foi discutido o “trabalho desenvolvido pela plataforma” em Portugal. “A reunião assinalou o trabalho desenvolvido pela plataforma” no país, “nomeadamente, as rodagens da série ‘La Casa de Papel’, que decorrem neste momento na região de Lisboa”, segundo um comunicado do Ministério da Cultura.
  • Google e Apple disponibilizam apps de rastreio a governos. Depois de meses de espera para que a aplicação StayAway Covid ficasse disponível nas lojas de downloads de apps, a Google e a Apple anunciaram que vão disponibilizar uma aplicação de rastreio à Covid-19 embutida no sistema operativo. Os gigantes de tecnologia informaram ainda que vão fazer aplicações para os governos caso lhes seja pedido.
  • Estados Unidos podem banir mais aplicações da China. O chefe de gabinete da Casa Branca disse, na quinta-feira passada, que o país está a ponderar banir outras aplicações desenvolvidas na China caso fique provado que podem representar uma ameaça para a segurança do país.

Nota: A Google Trends é uma rubrica semanal, publicada todos aos fins de semana, que resume os temas mais populares da internet com base na ferramenta homónima da Google. É assinada pelo jornalista do ECO Tiago Lopes.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Google Trends: Polémicas com o Avante lideram pesquisas dos portugueses

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião