Costa começa a 21 de setembro a receber partidos para discutir plano de recuperação

  • Lusa
  • 8 Setembro 2020

O primeiro-ministro "está disponível para um debate temático na Assembleia da República sobre o PRR", indicou fonte do Governo.

O primeiro-ministro está disponível para participar num debate no parlamento sobre o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) e recebe os partidos para análise deste documento nos próximos dias 21 e 22, disse esta terça-feira fonte do Governo.

Estas iniciativas de António Costa foram transmitidas esta terça-feira à agência Lusa por fonte do Governo, na véspera da primeira reunião da conferência de líderes parlamentares após as férias de verão e que deverá fixar os primeiros agendamentos da nova sessão legislativa na Assembleia da República.

Segundo fonte do Executivo, o primeiro-ministro “está disponível para um debate temático na Assembleia da República sobre o PRR” – plano que o Governo considera “central” para a recuperação económica e social do país após a crise pandémica da Covid-19.

Para procurar um consenso o mais alargado possível em torno deste documento, António Costa recebe os partidos em São Bento nos próximos dias 21 e 22. Também no dia 22 deste mês, o líder do Executivo vai discutir o plano com os parceiros sociais no Conselho Económico e Social.

Na próxima terça-feira, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, será feita a apresentação do PRR e da “Visão Estratégica” – documento do gestor e professor universitário António Costa e Silva, agora já com a inclusão de parte das mais de mil propostas de contributos que recebeu ao longo do período de discussão pública, que terminou no final de agosto.

Ainda de acordo com o Governo, o primeiro esboço do PPR será analisado em Conselho de Ministros no próximo dia 17, antes, portanto, da série de reuniões sobre o documento entre o primeiro-ministro e os partidos com representação parlamentar.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Costa começa a 21 de setembro a receber partidos para discutir plano de recuperação

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião