Após tombo, Wall Street recupera e sobe mais de 2%

Wall Street fechou em terreno positivo, com o setor tecnológico a recuperar das fortes perdas das últimas sessões.

Os mercados norte-americanos fecharam em território positivo esta quarta-feira, após a queda significativa na sessão anterior. O setor tecnológico, que tinha sido responsável pela tendência negativa de terça-feira, recuperou de forma sustentada.

O Dow Jones subiu 1.6% para os 27.940,47, o S&P 500 valorizou 2% para os 3.398,96 pontos — registando a maior subida desde 5 de junho (2,6%) — e o Nasdaq avançou 2,7% para os 11.141,56 pontos.

No caso do índice tecnológico, esta foi a melhor sessão desde 29 de abril, dia em que subiu 3,6%. Isto acontece depois de o Nasdaq ter entrado em território de correção — uma desvalorização de 10% face ao último máximo do índice — no período mais curto de sempre ao acumular uma perda superior a 10% em apenas três sessões.

O setor tecnológico esteve entre os setores com maiores ganhos, após algumas sessões de fortes perdas. Exemplo disso é a Apple cujas ações desvalorizaram 6% na sessão anterior e recuperaram agora 4%. Nota também para as subidas da Microsoft, acima de 4%, e da Alphabet (dona da Google), de 1,55%.

Já as ações da Tesla, que falhou a entrada no S&P 500, subiram mais de 10% após a maior queda de sempre numa sessão de 21% na terça-feira.

Entre o dinheiro barato da Reserva Federal norte-americana, os desenvolvimentos da luta contra o coronavírus e a aproximação das eleições presidenciais nos EUA, a expectativa dos analistas é que a volatilidade nas ações continue.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Após tombo, Wall Street recupera e sobe mais de 2%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião