Brasil: 31 milhões de veículos circulam sem seguro

  • ECO Seguros
  • 15 Setembro 2020

Cerca de 70% dos veículos terrestres circulam sem nenhum tipo de cobertura de seguro de responsabilidade civil, segundo dados atualizados da confederação brasileira de empresas de seguros (CNSeg).

No Brasil, as vítimas de eventuais acidentes causados por um total superior a 31 milhões de veículos que circulam sem seguro não poderão ser ressarcidas de danos pessoais corporais ou materiais.

Além dos acidentes que podem acontecer, os proprietários de veículos não segurados também são suscetíveis de consequências de furtos e assaltos. Segundo pesquisa realizada pelo Sinesp (Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública), no último ano ocorreram cerca de 91789 roubos de veículos em todo território brasileiro, assinalou o portal especializado segs.com.br.

A receita dos segmentos de seguros privados supervisionados no Brasil alcançou 23,35 mil milhões de reais (cerca de 3,65 mil milhões de euros) no último mês do primeiro semestre de 2020, anotando crescimento de 32,9% em junho, face a maio, de acordo com dados da Superintendência de Seguros Privados (Susep).

Globalmente, para o conjunto da indústria, após queda de 23,2% nos valores de maio de 2020 em relação a igual mês do ano anterior, “junho já apresenta um crescimento de 5,9% frente ao mesmo mês de 2019”, notava a Susep na síntese mensal.

No boletim mensal, a entidade brasileira de supervisão realçou o crescimento do volume de prémios recebidos em todos os segmentos do setor, nomeadamente no seguro de automóveis, com retoma em junho, quando comparado com maio.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Brasil: 31 milhões de veículos circulam sem seguro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião