Allianz faz o maior investimento de sempre no Brasil

  • ECO Seguros
  • 19 Julho 2020

O grupo Allianz concluiu a operação de aquisição da SulAmérica Auto e seguros elementares, reforça posição no maior mercado da América Latina com o maior investimento de sempre no setor no Brasil.

A aquisição das operações no ramo Automóvel e Ramos Elementares da seguradora brasileira SulAmérica pelo grupo Allianz concretiza o acordo celebrado em agosto de 2019. A transação “amplia a oferta de serviços a clientes e aumenta a presença geográfica da Allianz no Brasil”, explica um comunicado.

O valor do negócio ronda os 3,2 mil milhões reais (aproximadamente 530 milhões de euros ao câmbio corrente).

“Hoje nasce uma nova Allianz que combina o melhor dos dois mundos. Em um momento desafiador, profissionais de ambos os lados demonstraram qualidade, profissionalismo e desempenho exemplares nesta operação. Isso permitiu a conclusão da transação antes do prazo, consolidando a marca como referência no país”, disse Eduard Folch, presidente da Allianz Brasil citado em comunicado.

Para Gabriel Portella, presidente da SulAmérica, a conclusão da operação é um marco na história da companhia, que completa 125 anos em 2020. “O interesse da Allianz por esta operação só reforça a força e a qualidade dos nossos serviços, do atendimento e da experiência proporcionados aos nossos clientes.”

A SulAmérica, operando atualmente com 39 mil corretores e dezenas de agências, é a terceira maior do Brasil, com 9% de quota nos designados ramos elementares (propriedade e acidentes pessoais) e a segunda maior nos seguros automóvel, detendo cerca de 15% de quota neste ramo e mais de 2,5 milhões de veículos segurados.

Com o fecho da operação, a SulAmérica permanece com muitos outros negócios de seguros gerais, além dos ramos saúde e Vida. Por seu lado, a Allianz ascende às posições de topo que adquire por via dos ativos incorporados, ficando fortemente implantada no seguro automóvel brasileiro, no 2º lugar do ranking precedida apenas pela Porto Seguro (nº1 do setor) e nos elementares torna-se terceira, atrás da BB Seguros (parceria Banco do Brasil e Mapfre) e da Bradesco Seguros.

Com a conclusão da compra, a Allianz Brasil “terá colaboradores e infraestrutura adequada para apoiar sua ambição de crescimento. A nova empresa terá mais de 100 filiais e 30 C.A.S.A – centros automotive próprios – em todo o país”, assegura o comunicado da filial do grupo segurador alemão.

“Nosso foco está na continuidade dos negócios. Todo o processo de integração será conduzido gradualmente, considerando as melhores práticas de ambas as empresas, com foco total no crescimento sustentável”, complementou Folch, que lidera o novo comité executivo da Allianz Brasil, agora integrando também gestores da SulAmérica.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Allianz faz o maior investimento de sempre no Brasil

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião