Benfica afunda 6% em bolsa após a derrota contra o Paok

A bolsa nacional suportada pelo avanço dos títulos da Galp Energia. Fora do índice de referência, destaque negativo para as ações do Benfica que recuam quase 6%.

O desaire do Benfica na eliminatória para a Champions no jogo contra o Paok desta terça-feira está a merecer castigo por parte dos investidores. As ações do clube da Luz caem já perto de 6%, destoando face a uma sessão globalmente positiva na praça bolsista nacional que segue sustentada pelos título do setor da energia.

Na noite desta terça-feira, o Benfica foi derrotado por 2-1 na visita ao Paok, num jogo para a 3.ª pré-eliminatória da Liga dos Campeões. A derrota que afasta o clube da Luz dos milhões da Champions surge após um grande investimento no plantel. Daí que não seja de estranhar que as suas ações estejam a ser fortemente penalizadas pelos investidores nesta sessão. As ações da SAD encarnada aceleraram as perdas registadas desde o arranque da sessão, estando agora a desvalorizar 5,82%, para os 2,75 euros.

Caso eliminasse os gregos do Paok, o Benfica abria portas à garantia de um encaixe financeiro de 37 milhões de euros com a Liga dos Campeões. Para que tal acontecesse seria ainda preciso eliminar da competição o Krasnodar, na ronda seguinte, onde a quipa liderada por Jorge Jesus já não vai chegar.

Já o PSI-20 recupera após quatro sessões a negociar no vermelho, seguindo alinhado com as pares europeias. O PSI-20 avança 0,08%, para os 4.287,56 pontos. Na Europa, o Stoxx 600, índice que agrega as 600 principais capitalizações bolsistas do Velho Continente, soma 0,35%.

Referência positiva para o avanço de 1,05%, para os 9,076 euros, das ações da Galp Energia que lideram as subidas do índice bolsista nacional. As ações da petrolífera seguem alinhadas com o avanço das cotações do “ouro negro” nos mercados internacionais, com o barril de brent a ganhar 2,23%, para os 42,373 dólares, em Londres.

Pela negativa, destaque para o BCP que vê as suas ações desvalorizarem 0,66%, para os 9,07 cêntimos, travando ganhos mais acentuados para o PSI-20

(Notícia atualizada às 10h05)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Benfica afunda 6% em bolsa após a derrota contra o Paok

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião