António Costa consulta a StayAway “todas as manhãs”. É mesmo preciso?

O primeiro-ministro diz que "todas as manhãs" consulta a aplicação StayAway para saber se esteve perto de alguém com Covid-19. O hábito não é necessário. Contudo, é recomendável.

De visita a uma escola em Alcochete, o primeiro-ministro apelou à instalação da aplicação StayAway Covid, que rastreia de forma anónima eventuais contactos de risco com pessoas infetadas pelo novo coronavírus. António Costa afirmou também que todas as manhãs abre a aplicação para saber se esteve perto de alguém entretanto diagnosticado com Covid-19. Mas será mesmo necessário consultar a app todos os dias?

Primeiro, o que disse o primeiro-ministro: “Esta aplicação é de uso voluntário. Eu uso, e é com muita satisfação que, todos os dias de manhã, tenho verificado até agora que ainda não estive próximo de alguém que era um contacto de risco”, disse António Costa, em declarações transmitidas pela RTP 3. Mas é suposto a aplicação enviar uma notificação de alerta no telemóvel caso detete que o utilizador esteve, nos últimos 14 dias, durante alguns minutos a menos de dois metros de alguém infetado.

António Costa não está errado. O INESC TEC, promotor da aplicação StayAway Covid, tem recomendado aos utilizadores que, mesmo assim, abram a aplicação pelo menos uma vez por dia. A explicação está numa definição técnica presente em alguns telemóveis que pode impedir o funcionamento correto da aplicação, apesar de deixar em funcionamento o sistema que rastreia a possível exposição à Covid-19.

São coisas diferentes. E, para compreender este detalhe, é preciso entender que a aplicação StayAway Covid assenta em dois “sistemas”: a app propriamente dita e um mecanismo desenvolvido pela Google e pela Apple, que usa o Bluetooth dos smartphones, e que é conhecido por GAEN. Uma vez que a aplicação consome bateria, os sistemas de algumas marcas de telemóveis estão programados para “matar” o aplicativo, deixando em funcionamento o GAEN.

Nesses casos, o que pode acontecer é que o GAEN deteta um possível contágio, mas a aplicação não emite o alerta. Se assim for, a notificação de aviso só é emitida quando o utilizador abrir a app. É por este motivo que António Costa e o INESC TEC têm recomendado os portugueses que instalam voluntariamente a aplicação que abram a StayAway Covid pelo menos uma vez por dia, garantindo que uma eventual notificação é sempre enviada em tempo útil.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

António Costa consulta a StayAway “todas as manhãs”. É mesmo preciso?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião