Alojamento local perde quase 3.000 casas em Lisboa e Porto

  • ECO
  • 21 Setembro 2020

Com a queda do turismo provocada pela pandemia e as medidas de contenção, a oferta do alojamento local contraiu em cerca de 3.000 casas nas duas maiores cidades do país.

Outrora considerado um dos negócios da década, o alojamento local continua a apresentar sinais significativos de contração. Já perto de 3.000 imóveis foram retirados deste mercado de arrendamento de curta duração nas regiões de Lisboa e Porto, o que se explica com a queda do turismo causada pela pandemia, mas também pelas medidas de contenção implementadas em algumas zonas.

Segundo o Diário de Notícias (acesso pago), que cita dados do Confidencial Imobiliário, a capital portuguesa tinha uma oferta de 5.212 apartamentos T0 e T1 em junho do ano passado. Um ano depois, a oferta é de 3.468 imóveis destas tipologias. No Porto, o fenómeno de redução é semelhante e a oferta caiu de 3.694 para 2.536 unidades no início deste verão.

Em sentido inverso, a oferta de imóveis para arrendamento tem vindo a crescer e os preços das casas nas zonas de contenção do alojamento local em Lisboa têm vindo a baixar. Recentemente, dados do Ministério da Economia mostraram que o preço médio dos imóveis T2 nessas zonas da capital caiu 20% desde a entrada em vigor da medida do município.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Alojamento local perde quase 3.000 casas em Lisboa e Porto

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião