E o Emmy vai para… “Succession” foi o vencedor da noite

  • Lusa
  • 21 Setembro 2020

Além da segunda temporada de "Succession", da HBO, "Watchmen" e "Schitt's Creek" foram as duas outras grandes vencedoras da noite.

A segunda temporada de “Succession”, da HBO, venceu esta madrugada o prémio de Melhor Série Dramática na 72.ª cerimónia dos prémios Emmy, que decorreu em Los Angeles, EUA, sem público por causa da pandemia.

Centrada em torno de um conglomerado familiar com enorme poder nos media, a série deu a Jeremy Strong o Emmy de Melhor Ator em série dramática, pelo papel de Kendall Roy, e o criador Jesse Armstrong levou o Emmy de Melhor Argumento para série dramática.

“Watchmen” e “Schitt’s Creek” foram as duas outras grandes vencedoras da noite, ao levarem as distinções mais cobiçadas nas categorias de Minissérie e Série de Comédia, respetivamente.

Numa noite atípica apresentada por Jimmy Kimmel, os nomeados estavam ligados de forma remota aos ecrãs do Staples Center e as estatuetas foram sendo entregues por estafetas. Algumas categorias foram apresentadas ao vivo por celebridades e outras por desconhecidos com profissões essenciais, como médicos, enfermeiros e professores.

“Bem-vindos aos ‘Pand-emmys'”, saudou Jimmy Kimmel no início da noite, abrindo uma cerimónia de três horas com inúmeras referências à crise sanitária que mantém Hollywood em suspenso, mais de seis meses depois do início do confinamento.

A cerimónia não teve grandes surpresas, mas houve algumas vitórias históricas: “Watchmen”, da HBO, fez história ao ser a primeira adaptação de uma banda desenhada a vencer na categoria de Melhor Minissérie.

Liderando as nomeações (num total de 26), a minissérie de nove episódios foi coroada em detrimento de outra das favoritas, “Mrs. America”, e também deixou para trás “Unbelievable”, “Little Fires Everywhere” e “Unorthodox”.

Cord Jefferson e Damon Lindelof receberam o Emmy de Melhor Argumento para minissérie e “Watchmen” rendeu ainda dois prémios de representação: Regina King levou o Emmy de Melhor Atriz em minissérie e Yahya Abdul-Mateen II levou a estatueta de Melhor Ator Secundário em minissérie. No total, recebeu 11 prémios, incluindo fotografia e música.

Nas séries de comédia, foi “Schitt’s Creek” que conseguiu o domínio absoluto. A série canadiana da Pop TV, que também está disponível no Netflix, venceu todas as categorias importantes deste género – Melhor Série de Comédia, Melhor Ator (Eugene Levy), Melhor Atriz (Catherine O’Hara), Melhor Ator Secundário e Melhor Realização (Dan Levy) e Melhor Atriz Secundária (Annie Murphy).

Para trás ficaram “Dead to Me”, “The Marvelous Mrs. Maisel”, “The Kominsky Method”, “The Good Place”, “Curb Your Enthusiasm”, “What We do in the Shadows” e “Insecure”. Foi a primeira vez que uma série canadiana venceu a categoria de topo.

Na representação, Zendaya tornou-se na atriz mais jovem a receber o Emmy de Melhor Atriz em série dramática, por “Euphoria”, da HBO. A atriz de 24 anos estava nomeada com Olivia Colman (“The Crown”), Jennifer Aniston (“The Morning Show”), Laura Linney (“Ozark”) e Sandra Oh e Jodie Comer (“Killing Eve”).

Julia Garner deu a “Ozark” a única vitória nas categorias mais importantes, recebendo o Emmy de Melhor Atriz Secundária em série dramática. Mark Ruffalo levou o prémio de Melhor Ator em série dramática, por “I Know this much is true”, ultrapassando os veteranos Jeremy Irons (“Watchmen”) e Hugh Jackman (“Bad Education”).

Ainda no género dramático, Billy Crudup foi considerado o Melhor Ator Secundário pelo papel em “The Morning Show”, a única distinção angariada pela Apple TV+ nas principais categorias.

Já “Mrs. America” (canal FX), que teve muito boas críticas, deu a Uzo Aduba o Emmy de Melhor Atriz Secundária em minissérie, superando Jean Smart em “Watchmen”.

No género de Melhor série de variedades, talk show, “Last Week Tonight with John Oliver”, da HBO, foi novamente consagrada.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

E o Emmy vai para… “Succession” foi o vencedor da noite

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião