Europa recupera. Lisboa avança com a energia

Bolsas estão a ser suportadas por sinais de novos apoios por parte dos bancos centrais às economias mundiais. Em Lisboa, a energia puxa pela bolsa, mas o BCP volta a cair quase 1%.

Depois das fortes quedas com receios quanto aos impactos da pandemia, as bolsas voltam aos ganhos. Suportadas nos sinais de novos apoios por parte dos bancos centrais às economias mundiais, as praças europeias estão em alta. Lisboa segue a tendência, beneficiando da recuperação dos títulos do setor energético.

Os investidores estão a aplaudir as declarações de Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu, que veio afirmar que a Europa precisa de mais estímulos para recuperar da crise pandémica. Do outro lado do Atlântico, Jerome Powell, presidente da Fed, vai dizer no Senado dos EUA que será necessário estímulos diretos às pequenas e médias empresas americanas.

Neste contexto, o Stoxx 600 soma 0,4%, mas há índices de referência europeus com ganhos mais acentuados, caso do DAX, da Alemanha, que avança 0,7%. Em Lisboa, o PSI-20 está a valorizar 0,2% para cotar nos 4.164,95 pontos, com a maioria dos títulos em alta.

A puxar pela bolsa nacional estão os títulos do setor energético, com a Galp Energia a recuperar da queda registada na primeira sessão da semana. A petrolífera está a ganhar 0,14% para 8,444 euros, enquanto a EDP sobe 0,69% para 4,203 euros.

Nota positiva ainda para a Jerónimo Martins, que soma 0,47% para 13,89 euros, enquanto a impedir uma recuperação mais acentuada da bolsa nacional está o BCP. O banco liderado por Miguel Maya volta a perder valor, recuando 0,8% para cotar nos 8,63 cêntimos por ação.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Europa recupera. Lisboa avança com a energia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião