Tecnologia pressiona Wall Street. Nasdaq cai 3%

Os receios dos investidores em relação à recuperação económica acabaram por ditar quedas em Wall Street. As gigantes tecnológicas lideraram as perdas.

Os principais índices de Wall Street voltaram às perdas nesta sessão, com as tecnológicas a pressionar. Os receios de uma recuperação económica mais lenta também penalizaram o sentimento, depois de serem conhecidos dados pouco animadores da atividade empresarial dos EUA e de continuar o impasse no Congresso sobre o novo pacote de estímulos.

A atividade empresarial nos Estados Unidos abrandou em setembro, de acordo com os dados divulgados esta quarta-feira. A recuperação da economia, após o impacto da pandemia, está a perder velocidade, à medida que a ajuda financeira do governo às empresas e aos desempregados vai chegando ao fim, nota a Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês).

O industrial Dow Jones Average caiu 1,9%, para os 26.768,21 pontos, depois de ter arrancado a sessão a subir. Igual tendência foi sentida no S&P 500, que recuou 2,3% para os 3,237.25 pontos. Já o Nasdaq perdeu 3,06% para os 10.628,03 pontos.

Nas perdas, o destaque vai para o setor tecnológico. A Apple caiu 4,19% para os 107,12 dólares, a Amazon recuou 4,13% para os 2.999,86 dólares e a Alphabet, dona da Google, perdeu 3,45% para os 1.409,39 dólares.

Nota também para a Tesla, que afundou 10,34% para os 380,36 dólares, depois de a empresa de carros elétricos avançar com o processo sobre o Governo dos EUA para travar as tarifas da China.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Tecnologia pressiona Wall Street. Nasdaq cai 3%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião