Rendas na Amadora já são quase tão caras como no Porto

Rendas travaram com a pandemia, mas preços estão mais altos este ano: média está nos 5,47 euros/m2. Se Lisboa tem as rendas mais altas, Vila Nova de Foz Côa é a cidade mais barata para arrendar casa.

A pandemia fez cair os valores das rendas, mas os primeiros seis meses do ano foram sinónimo de preços mais altos. Neste período, o metro quadrado encareceu 9,4% para um valor mediano de 5,47 euros, mostram os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). Lisboa, como tem sido habitual, continua a ser a cidade mais cara para arrendar casa, mas a Amadora tem subido várias posições. Ocupa agora o quinto lugar e está quase tão cara como o Porto.

Já há vários meses que a Amadora vem sendo destaque em matéria de habitação, subindo vários lugares na tabela de preços. Os dados do INE mostram que, no primeiro semestre, este era o quinto município mais caro para arrendar casa: as rendas fixaram-se nos 8,74 euros por metro quadrado. Imediatamente atrás aparece o Porto, com um valor mediano de 8,93 euros por metro quadrado (uma subida de 7,2%).

O top 3 dos municípios com as rendas mais caras do país estão localizados na capital. Oeiras aparece em terceiro com um valor mediano de 10,35 euros por metro quadrado, à frente de Cascais com 10,58 euros por metro quadrado. A liderar, como tem sido habitual, está Lisboa, onde as rendas subiram 1,8% no primeiro semestre para 11,92 euros por metro quadrado.

Municípios com as rendas mais caras do país

Valor mediano das rendas por metro quadrado | Fonte: INE, 1.º semestre de 2020

No lado oposto da tabela, entre os municípios mais baratos para arrendar casa, estão cinco cidades localizadas no interior do país, cujo valor mediano do metro quadrado está pouco acima dos dois euros. Valpaços (Vila Real) e Macedo de Cavaleiros (Bragança) aparecem no quinto e quarto lugares, com rendas de 2,33 e 2,25 euros por metro quadrado, respetivamente.

O terceiro município mais barato é Sátão, em Viseu, com um valor mediano de 2,22 euros, à frente de Cinfães (Viseu), com 2,21 euros por metro quadrado. O título de município mais barato do país para arrendar casa no primeiro semestre vai para Vila Nova de Foz Côa, no distrito da Guarda, onde o metro quadrado custa, em média, 2,19 euros.

Municípios com as rendas mais baratas do país

Valor mediano das rendas por metro quadrado | Fonte: INE, 1.º semestre de 2020

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Rendas na Amadora já são quase tão caras como no Porto

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião