Metro de Lisboa assina contrato de 73,5 milhões para segunda empreitada de expansão

O Metropolitano de Lisboa assinou com a Mota-Engil o contrato para a segunda empreitada do plano de expansão, que prevê o prolongamento das linhas amarela e verde.

O Metropolitano de Lisboa assinou esta semana o segundo contrato de empreitada para a sua expansão. O contrato, avaliado em 73,5 milhões de euros, foi fechado com a Mota-Engil, e prevê o prolongamento das linhas amarela e verde, entre o Rato e o Cais do Sodré.

“O Metropolitano de Lisboa assinou no dia 22 de setembro com o Metro Santos Sodré Ace, constituído pelas Agrupadas Mota-Engil, Engenharia e Construção/Spie Batignolles International, o contrato referente à execução da empreitada de projeto e construção do lote 2: execução dos toscos entre a Estação Santos e o Término da estação Cais do Sodré“, refere a empresa em comunicado enviado esta sexta-feira.

Este contrato tem o preço contratual de 73,5 milhões de euros, ao qual acresce o valor do IVA, e foi assinado “no estrito cumprimento e respeito pelo regime fixado no Código dos Contratos Públicos”. O prazo de execução desta empreitada é de 960 dias, contados da data da respetiva consignação, que só poderá ocorrer após obtenção de visto prévio do Tribunal de Contas.

O Metropolitano de Lisboa refere que, no concurso referente ao lote 2 do plano de expansão, o concorrente Sacyr Somague apresentou uma “impugnação administrativa do ato de adjudicação desta empreitada”. Esta impugnação, lê-se no comunicado, “não suspende a tramitação subsequente do concurso e foi indeferida pelo conselho de administração do Metropolitano de Lisboa”.

“O Metropolitano de Lisboa não foi, até ao momento, citado de qualquer impugnação judicial interposta pelo referido concorrente ou por qualquer outro concorrente, relativa ao presente concurso”, refere a empresa.

O Plano de Expansão do Metropolitano de Lisboa prevê o prolongamento das linhas amarela e verde (Rato – Cais do Sodré): numa primeira fase será feita a ligação entre a estação do Rato e Santo (que será construída) e, numa segunda, a ligação entre Santos e o Cais do Sodré. Haverá ainda uma terceira fase onde serão construídos dois novos viadutos sobre a Rua Cipriano Dourado e sobre a Av. Padre Cruz, na zona do Campo Grande.

O investimento total previsto para esta fase de expansão do Metropolitano de Lisboa é de 210,2 milhões de euros, cofinanciado em 127,2 milhões de euros pelo Fundo Ambiental e em 83 milhões de euros pelo Fundo de Coesão.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Metro de Lisboa assina contrato de 73,5 milhões para segunda empreitada de expansão

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião