Quarentena de 14 dias está a desaparecer. Nestes países já encolheu

O Governo está a avaliar se vai encurtar o período de isolamento profilático. Contudo, há vários países a fazê-lo. Se nos EUA, Espanha e Croácia a quarentena é de dez dias, em França e Bélgica é de 7.

Se no início da pandemia a comunidade científica acreditava que o período de incubação do vírus SARS-CoV-2, que causa a doença Covid-19, se prolongava por, pelo menos, 14 dias, agora o entendimento é diferente. Estudos recentes revelam que a probabilidade de desenvolver o vírus dez dias após o último contacto com o novo coronavírus é pouco provável. Por isso, há já vários países a encurtar o tempo de isolamento profilático.

À medida que alguns países estão já a enfrentar uma segunda vaga da Covid-19, os governos estão a reduzir o período de quarentena, apoiando-se no facto de vários especialistas defenderem que o tempo de incubação da doença não ultrapassa os dez dias. O objetivo é claro: reduzir a pressão sanitária e incentivar o cumprimento do período de quarentena na totalidade.

Ainda assim, a União Europeia mantém a recomendação dos 14 dias de isolamento. “Recomenda-se uma quarentena de 14 dias para as pessoas que tenham estado em contacto com um caso confirmado de SARS-CoV-2. Esta pode ser reduzida para um período de dez dias após a exposição, caso se realize um teste ao décimo dia e este dê negativo“, lê-se no documento do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC).

Em Portugal, o período de isolamento profilático é ainda de 14 dias. Contudo, a Direção-Geral da Saúde já admitiu encurtar esse tempo para dez dias. Graça Freitas adiantou que esta é uma decisão “complexa” e que está a ser estudada pelas autoridades de saúde portuguesas em conjunto com os epidemiologistas. “Veremos a melhor evidência, mas era uma boa notícia”, disse, na semana passada, a diretora-geral da Saúde.

Más além-fronteiras há já países com a decisão tomada. Os Estados Unidos foram o primeiro país a fazê-lo, seguindo a recomendação do Centro de Controlo de Doenças. Pela Europa, Espanha, Croácia e Polónia seguiram-lhe o exemplo encurtando a quarentena para dez dias, ao passo que França e Bélgica foram mais longe e encolheram o período para metade: apenas sete dias.

Estados Unidos foram o primeiro país a adotar quarentena de 10 dias

Em julho, o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) recomendou a redução do tempo total de isolamento, alegando que estudos demonstravam que o vírus não tem capacidade de transmissão após o décimo dia, em pacientes com sintomas leves a ligeiros. “Estima-se que em 88% a 95% dos pacientes infetados o vírus não tem capacidade para se replicar entre dez a 15 dias, respetivamente, após o início de sintomas“, revela a nota informativa do CDC.

No entanto, a entidade de saúde norte-americana alertou para o facto de a recomendação não se aplicar a casos graves de infeção por coronavírus – essas podem permanecer infecciosas até 20 dias após o início dos sintomas – e também não reflete aqueles que foram expostos ao vírus e não foram testados, mantendo nesses casos a recomendação dos 14 dias. Certo é que os Estados Unidos decidiram seguir a recomendação, tendo encurtado o período de isolamento profilático para dez dias. Nesse sentido, terá sido também com base na investigação do CDC que vários países europeus começaram a ponderar reduzir o tempo de quarentena.

Espanha impõe quarentena de dez dias

Espanha é o mais recente país europeu a encurtar o tempo de isolamento profilático. Até esta quinta-feira, só os casos positivos que não manifestassem nenhum sintoma da doença durante 72 horas podiam ver o seu período de isolamento reduzido a dez dias. Ainda assim, todos os contactos diretos com os infetados tinham que permanecer em quarentena durante 14 dias.

A Catalunha foi a primeira região autónoma a encurtar o período de quarentena da Covid-19 de 14 para dez dias, mas esta quinta-feira o Governo espanhol decidiu estender a medida a todo o território nacional. Assim, com esta medida, o Ministério da Saúde espanhol dispensa a partir agora os contactos de alto risco da necessidade do período de quarentena em dez dias, estabelecendo por definição o período de quarentena em dez dias, revela o jornal ABC.

Croácia também reduziu período de quarenta esta semana

Dois dias antes de Espanha ter tomado a decisão, foi a vez de a Croácia se juntar à lista de países onde o período de isolamento profilático é de apenas dez dias. Assim, pacientes com manifestações clínicas leves ou moderadas da doença vêem agora o seu período de quarentena ser reduzido para dez dias, mas se apenas não tiverem febre nas últimas 24 horas e caso os outros sintomas melhorarem significativamente, revela o Daily News Hungary (acesso livre, conteúdo em inglês).

Já os pacientes com sintomas graves terão de se isolar por um período mínimo de 20 dias, que pode ser encurtado para 15 caso apresentem dois testes de despiste negativos. Estas novas recomendações foram publicadas esta segunda-feira no Instituto de Saúde Pública croata.

Polónia: um dos países pioneiros da UE na redução da quarentena

A Polónia foi um dos primeiros países da Europa, a seguir as pisadas dos EUA. Em finais de agosto, a Polónia decidiu encurtar o período de isolamento de infeção por Covid-19 de 14 para dez dias. “Vamos mudar as regras de quarentena e de isolamento. Vamos avançar com a redução da quarentena para dez dias“, anunciou o ministro da Saúde polaco, Adam Niedzielski, em conferência de imprensa a 27 de agosto, citado pela Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês).

França reduz tempo de quarentena para metade

Se os Estados Unidos, Espanha e Polónia decidiram encurtar a quarentena para dez dias, certo é que França foi mais longe. A 11 de setembro, o Governo francês decidiu reduzir o período de quarentena para metade, passando dos 14 dias para apenas sete. A decisão foi justificada não só com base no conhecimento científico disponível, mas também com o argumento de que é mais fácil as pessoas cumprirem de forma rigorosa uma quarentena mais curta. “É fundamental que todos respeitem rigorosamente esse isolamento, que serve para travar a pandemia”, alertou primeiro-ministro francês, Jean Castex, aquando do anúncio, citado pelo Le Fígaro (acesso livre, conteúdo em francês).

O chefe de Governo alertou ainda que o vírus continua a circular, apesar de se manifestar “muito nos jovens, acaba por infetar aqueles que são mais vulneráveis”. Perante esta decisão, o ministro francês da Saúde, Olivier Véran explicou ao jornal France Inter, citado pela TVI, que a doença “é mais contagiosa durante os primeiros cinco dias após o surgimento de sintomas. Depois, a capacidade infecciosa diminui drasticamente”, referiu.

Bélgica tem quarentena de apenas sete dias

Se em junho, a Bélgica decidiu reduzir o tempo de quarentena, possibilitando que as pessoas que tiveram contacto próximo com alguém infetado pudessem realizar um segundo testes diagnóstico a fim de reduzir a quarentena obrigatória de 14 dias, agora ainda foi mais longe. Esta quarta-feira, a primeira-ministra belga, Sophie Wilmes, anunciou que, a partir de 1 de outubro as pessoas que tiveram contacto com uma pessoa infetada só terão que ficar em quarentena durante sete dias, avançou a Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Quarentena de 14 dias está a desaparecer. Nestes países já encolheu

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião