Saídas para a reforma na função pública disparam 43%

  • ECO
  • 25 Setembro 2020

Nos primeiros seis meses do ano, houve 17.806 saídas das administrações públicas, das quais 6.504 para a reforma. Um quinto do total das aposentações sucederam na educação.

No primeiro semestre, houve 17.806 saídas das administrações públicas, das quais mais de 6.500 para a reforma, segundo os últimos dados estatísticos da Direção-Geral da Administração e do Emprego Público. Um quinto do total das aposentações sucederam na educação, revela o Diário de Notícias/Dinheiro Vivo (acesso livre).

Das mais de 17 mil saídas das administrações públicas, 6.504 funcionários públicos foram para a reforma, de acordo com a última síntese divulgada esta quinta-feira. Trata-se de um crescimento de 43% face ao mesmo período do ano passado. A maioria das aposentações aconteceram no setor do Estado e, em particular, na educação. No total, 1.308 profissionais ligados a esta área foram para a reforma.

O setor empresarial do Estado regista também 821 saídas para a aposentação e a Administração Interna outras 640. A saúde também foi penalizada, com a reforma de 404 trabalhadores. Apesar destas saídas, a função pública conseguiu na primeira metade deste ano voltar a superar os 700 mil profissionais, algo que não se verificava desde há oito anos.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Saídas para a reforma na função pública disparam 43%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião