Governo lança recrutamento para completar reserva de 1.000 técnicos superiores

  • Lusa
  • 28 Setembro 2020

O procedimento visa selecionar 200 técnicos superiores que permitam completar a constituição de uma reserva de 1.000 técnicos superiores para a Administração Pública.

O Governo lançou esta segunda-feira um procedimento de recrutamento centralizado para completar a constituição de uma reserva de 1.000 técnicos superiores para a Administração Pública, depois de já terem sido selecionados 800, foi hoje divulgado.

De acordo com um comunicado do Ministério da Modernização do Estado e da Administração Pública (MMEAP), o procedimento hoje lançado, para selecionar 200 técnicos superiores “irá incidir nas áreas económico-financeira e estatística, nas quais foram selecionados menos candidatos para a reserva, bem como na área jurídica na qual foram identificadas necessidades adicionais”.

No anterior procedimento, o Governo tinha indicado que as contratações em falta seriam selecionadas em agosto, mas hoje indicou que “o período de candidaturas irá decorrer entre 28 de setembro e 19 de outubro”.

As provas de conhecimento devem decorrer “no final de janeiro, nas cidades de Lisboa, Porto e Évora”, sujeitas às condições epidemiológicas associadas à pandemia de covid-19, com a “avaliação psicológica em abril, antecipando-se que a bolsa fique constituída até ao final de 2021”, segundo o ministério de Alexandra Leitão.

“Todos os cidadãos que cumpram os requisitos poderão candidatar-se. Além disso, os candidatos que se apresentaram ao procedimento antecedente nas áreas agora abertas (económico-financeira, estatística e jurídica) que tenham sido admitidos às provas de conhecimentos e que não tenham ficado na bolsa já constituída consideram-se a concurso desde que manifestem esse interesse”, pode também ler-se no comunicado do MMEAP.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo lança recrutamento para completar reserva de 1.000 técnicos superiores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião