EuroAtlantic acusa Governo de “distorcer concorrência” com ajuda estatal à TAP

  • ECO
  • 4 Outubro 2020

O presidente da EuroAtlantic critica a falta de apoio do Estado ao setor da aviação como um todo, mas acredita que será possível manter parcerias com a TAP findo o processo de reestruturação.

O presidente da EuroAtlantic, Eugénio Fernandes, não vê com bons olhos o auxílio estatal concedido à TAP. Em entrevista ao Jornal de Negócios e à Antena 1, diz que se trata de uma medida que “distorce a concorrência” e critica a falta de apoio do Governo ao setor da aviação como um todo.

“Não compreendo como é que, num setor que contribui com 57 mil postos de trabalho diretos e tem “n” companhias de aviação, o apoio do nosso Estado canaliza-se apenas para as empresas que têm cariz público”, afirmou Eugénio Fernandes.

Apesar das suas “dúvidas” relativamente ao apoio estatal à TAP, diz ainda acreditar que será possível manter parcerias com a companhia aérea de bandeira, findo o plano de reestruturação da companhia. “Se a TAP identificar uma rota que faz sentido continuar, mas que tem uma estrutura de custo muito elevada, pode fazer isto com um parceiro. Mas, antes de haver o tal plano de reestruturação, é difícil ver onde é que podemos colaborar”, concretizou.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

EuroAtlantic acusa Governo de “distorcer concorrência” com ajuda estatal à TAP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião