Bloco não aceita “truques contabilísticos” do Governo com o Novo Banco

O Bloco espera que "nos próximos dias" possa haver uma alteração da posição do Governo quanto aos empréstimos ao Novo Banco, afirmando que não irá aceitar "truques contabilísticos" do Executivo.

O Bloco de Esquerda (BE) está decidido a não ceder no que diz respeito aos empréstimos feitos ao Novo Banco. Os bloquistas defendem que seja a banca a financiar diretamente o banco, sem envolver o Fundo de Resolução, e afirmam que não vão aceitar “truques contabilísticos” do Governo. À saída de mais uma reunião com o Governo, Pedro Filipe Soares disse esperar que nos próximos dias haja alterações na proposta do Executivo.

“Já dissemos ao Governo que não vamos em truques contabilísticos e, do nosso ponto de vista, não há nenhuma mudança face ao que foi dito anteriormente, quer pelo Governo quer por nós“, disse o bloquista esta terça-feira, à saída de uma reunião com o ministro das Finanças e com o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares.

Esperamos que nos próximos dias possa haver algumas alterações para defender o país, porque é da defesa do país que estamos a falar”, acrescentou, em declarações aos jornalistas transmitidas pela RTP3.

Pedro Filipe Soares notou que esta foi uma “reunião ao abrigo do direito de oposição” e não uma “reunião de trabalho para prosseguir o diálogo” que tem havido nas últimas semanas relativamente ao OE2021. “O que nos foi apresentado hoje, do ponto de vista do cenário macroeconómico, já tinha sido por nós conhecido antes. Esta reunião não altera nada do que dissemos nos últimos dias. Esperamos que as próximas reuniões tenham uma resposta qualitativa“, afirmou.

Para o bloquista, o OE deve responder à “difícil situação do país”, quer a nível pandémico, social e económico, e tem de “ser capaz de atacar os problemas estruturais, alguns dos quais que já existiam antes desta crise”. Pedro Filipe Soares sublinhou a “necessidade que o país tem de mudar estruturalmente a resposta que tem sido dada” a cada um desses problemas.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Bloco não aceita “truques contabilísticos” do Governo com o Novo Banco

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião