GP de Portugal de F1 deverá ser reduzido a 27.500 espetadores

  • Lusa
  • 18 Outubro 2020

"Em princípio, o limite máximo deve situar-se nos 27.500 lugares", revela o administrador do Autódromo Internacional do Algarve.

A lotação máxima permitida no Grande Prémio de Portugal de Fórmula 1, no próximo fim de semana, deverá ser reduzida para 27.500 lugares, disse à Lusa este domingo o administrador do Autódromo Internacional do Algarve, Paulo Pinheiro.

“Ainda estamos à espera da versão final do parecer da DGS [Direção-Geral da Saúde] mas, em princípio, o limite máximo deve situar-se nos 27.500 lugares”, revelou Paulo Pinheiro.

Inicialmente, foram colocados à venda cerca de 46.000 bilhetes, mas, face à evolução da pandemia de Covid-19 nas últimas semanas, esse número deverá ser substancialmente reduzido. “O documento deve chegar-nos esta segunda-feira”, adiantou o administrador do autódromo algarvio.

Certo é que os bilhetes de peão “não vão ser permitidos”, pelo que esses lugares serão distribuídos por outras bancadas. No entanto, Paulo Pinheiro revelou que se têm verificado “várias desistências” de adeptos do estrangeiro “que, ou não conseguiram viagem, ou estão com receio” de assistir à corrida.

Por isso, “em princípio, dará para acomodar” todos os adeptos portugueses que compraram bilhete, observou o responsável.

Na sexta-feira, a DGS tinha informado que estava a rever a autorização para a presença de público em eventos desportivos, em especial nos grandes prémios de Portugal de Fórmula 1 e MotoGP, admitindo a sua redução.

Graça Freitas, diretora-geral da Saúde, tinha advertido que “a situação é preocupante”, o que leva a autoridade de saúde a agir de forma “muito cautelosa”, adiantando que a presença de espetadores em espetáculos desportivos “está a ser equacionada conforme a zona, com a redução que terá de existir”.

Portugal contabiliza pelo menos 2.181 mortos associados à Covid-19 em 99.911 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS). O Grande Prémio de Portugal de Fórmula 1 será a 12.ª corrida do Campeonato do Mundo de 2020 e disputa-se entre sexta-feira e domingo, no Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

GP de Portugal de F1 deverá ser reduzido a 27.500 espetadores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião