AXA vai injetar mil milhões na subsidiária XL

  • ECO Seguros
  • 9 Novembro 2020

A unidade de linhas comerciais do grupo AXA aplicou significativos aumentos de preços em seguros e resseguros. O reforço de capital visa responder a oportunidades de crescimento.

A XL, divisão de linhas comerciais (P&C e Life & Savings) da seguradora francesa, vai receber uma injeção líquida de 1 000 milhões de euros, da entidade matriz (AXA SA). De acordo com a Reuters, os recursos destinam-se a reforçar a posição de capital da Axa XL, após impacto de custos associados à pandemia (Covid-19) e perdas relacionadas com catástrofes.

Etienne Bouas-Laurent, administrador financeiro do grupo AXA: “Queremos garantir que o capital é alocado às áreas onde pretendemos crescer”. É importante que, mesmo suportando perdas associadas à pandemia, “a XL possa responder a oportunidades”. Por isso, neste contexto, “temos a intenção de aumentar o capital da XL”, afirmou Bouas-Laurent, citado pela agência de notícias.

O grupo AXA anunciou números dos nove meses até setembro, apresentando quebra de 8% na receita consolidada, que rondou 73,39 mil milhões de euros, com a divisão XL a registar quebra de -1%, face a igual período de 2019, somando receita bruta de 13,96 mil milhões de euros entre janeiro e setembro de 2020.

A AXA XL é a divisão onde se encontra o negócio do XL Group, adquirido pela organização francesa em 2018 por cerca de 12,4 mil milhões de euros (linhas comerciais de P&C), mas integra também as unidades AXA Art e todo o negócio da AXA Corporate Solutions. De acordo com o comunicado do grupo francês, no período reportado (janeiro a setembro), a XL subiu 16% os preços de seguro e 8% no resseguro.

O comunicado de resultados até setembro revela ainda uma “recuperação” da atividade do grupo francês ao longo do 3º trimestre, em termos globais (receita cresceu 4%). De julho a setembro, as receitas do grupo AXA cresceram 2% no negócio P&C (propriedade e danos), face ao 3ºT de 2019, progredindo 4% nos seguros de Saúde e a acrescentar 900 milhões de euros de entradas líquidas na área de L&S (Vida e Poupança). A companhia mantém inalterada a estimativa de perdas com a covid-19 para o conjunto do exercício anual (1,5 mil milhões de euros, incluindo desembolsos no quadro das iniciativas de solidariedade, particularmente em França).

No documento em que comunica os resultados dos nove primeiros meses de 2020, Thomas Buberl, CEO do grupo AXA, realça os significativos aumentos de preços conseguidos pela AXA XL, nota a resiliência evidenciada pela AXA SA ao nível do indicador de solvência e acrescenta: “Espera-se que a posição de Solvência II do Grupo para o conjunto de 2020 beneficie da inclusão do AXA XL no modelo interno do Grupo AXA e da conclusão das alienações previamente anunciadas”.

O grupo AXA tem anunciado desinvestimento em determinados mercados, com alienações já acordadas nomeadamente no Este europeu (EEA) e na Ásia.

À luz das regras europeias do regime Solvência II, o rácio da companhia manteve-se estabilizado nos 180%, indica a comunicação.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

AXA vai injetar mil milhões na subsidiária XL

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião